Nova News

Menu

Terça, 21/02/2017

- Atualizado em

Mara Caseiro dispara contra invasão de escolas e critica rombos deixados pelo PT

Parlamentar critica a invasão por estudantes contrários à reforma do Ensino Médio e à PEC 55/16 que tramita no Senado e estabelece um teto para os gastos públicos, incluindo a Educação

Assessoria

A deputada estadual Mara Caseiro (PSDB) subiu à tribuna na manhã desta quinta-feira (3) e disparou contra a invasão de escolas em todo o País por estudantes contrários à reforma do Ensino Médio e à PEC 55/16, que tramita no Senado e estabelece um teto para os gastos públicos, incluindo a Educação.


Para a parlamentar, os protestos são ações legítimas e democráticas, desde que não haja “baderna” e não prejudiquem os alunos que não queiram participar das manifestações e que desejem continuar seus estudos.

“Não se trata de uma ocupação, e sim de uma invasão. Não podemos permitir que os estudantes que não queiram participar dessa baderna, sejam prejudicados. Um estudante morreu nessas manifestações, e isso não é uma coisa tranquila. Todos têm direito a se manifestar, mas sem bagunça e sem tirar o direito dos outros”, afirmou.


A deputada enfatizou que escola é lugar para repasse de conhecimento, e não “central de baderna”.

Em todo o País, mais de mil escolas estão invadidas, de acordo com balanço divulgado pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas.


Para o governo, a proposta de reforma do ensino médio irá acelerar a reformulação da etapa de ensino que concentra mais reprovações e abandono de estudantes.

Deputada estadual do PSDB subiu à tribuna nesta quinta-feira para debater assunto (Imagem: Assessoria)

Os alunos argumentam que a reforma deve ser debatida amplamente antes de ser implantada por MP, que começa a vigorar imediatamente.


O Ministério da Educação afirma que a PEC 241 (que agora tramita no Senado com o número 55/2016) não reduzirá os repasses para educação e que o ajuste fiscal é necessário em um contexto de crise econômica.


ROMBO NAS FINANÇAS


Durante seu discurso, que causou tumulto no plenário da Assembleia Legislativa devido às tentativas frustradas da bancada do PT em interromper sua fala, Mara Caseiro criticou os rombos deixados durante os 13 anos de governo de Lula e Dilma Roussef.


Em relação ao teto para os gastos públicos, Mara Caseiro enfatizou que o presidente Michel Temer (PMDB) foi obrigado tomar medidas amargas devido à corrupção, que saqueou milhões dos cofres públicos.


“Esse governo deixou um rombo na economia, uma fila de desempregados, e afundou todas as nossas instituições, como a Petrobras, que sempre foi nosso orgulho. Nenhum governo quer tomar medidas impopulares, e nenhum cidadão de bem quer pagar essa conta, mas, infelizmente, vamos ter que pagar esse rombo que fizeram durante 13 anos de governo”, disparou.


Ela finalizou destacando que Temer deve levar tempo, mas ajudará o País a sair desse buraco “com muito trabalho e empenho”.

PUBLICIDADE

não hácomentários Não perca tempo e seja o primeiro a comentar esta notícia.

Código de segurança  Gerar outro código