Buscar

Responsáveis pelo INSS esclarecem falta de peritos em Nova Andradina

Representantes regionais do órgão compareceram na sessão de segunda-feira (27) da Câmara Municipal

A ausência de peritos na agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) da cidade de Nova Andradina, fato que tem causado inúmeros transtornos para aqueles que necessitam de perícias médicas, fez com que, nos últimos dias, os vereadores da cidade chegassem a anunciar a possibilidade de representar o INSS junto ao Ministério Público Federal (MPF), sugestão proposta pelo atual presidente Casa de Leis, Cido Pantanal (Solideriedade).

Diante da pressão, representantes do INSS do Centro Sul, que atende 37 cidades localizadas na região da grande Dourados, compareceram durante a sessão desta segunda-feira (27) da Câmara Municipal de Nova Andradina, para tentar esclarecer e, ao mesmo tempo, amenizar a crise que se arrasta há algum tempo na cidade com relação à não realização de perícias.

Responsáveis pelo INSS visitaram a Câmara Municipal de Nova Andradina - Imagem: Nova News

Francisco Carlos Silva, gerente do INSS de Dourados, e David de Freitas Junior, chefe da sessão de saúde do trabalhador, fizeram uso da tribuna para dar satisfação aos vereadores e ao público presente sobre o caso. Francisco foi o primeiro a fazer uso da palavra e citou as dificuldades e a falta de estrutura que o órgão enfrenta para atender a demanda existente na região.

Em suas palavras, a unidade de Nova Andradina tem uma demanda de cerca de 50 perícias por dia e que seriam necessários três profissionais para realizar o atendimento. Ainda de acordo com Silva, das 37 cidades da Região Centro Sul, seis estariam sem médico perito, dentre elas Nova Andradina. O gestor explicou que a situação só poderá ser amenizada após o segundo semestre de 2015, quando o INSS deverá realizar abrir concurso público.

Há a anos, não há uma política por  parte do  Governo Federal para  repor esses  profissionais
David de Freitas Junior

Outro ponto abordado pelo gerente é a falta de interesse por parte de médicos em assumir o concurso. Segundo ele, os baixos salários que são ofertados à classe pelo Governo Federal e a obrigação de cumprir uma rigorosa carga horária seriam fatores que acabam por desestimular alguns profissionais. 

 

“Hoje, um médico que atua em um PSF chega a ganhar até R$ 25 mil enquanto um perito, que trabalha de 06h a 08h diárias recebe pouco mais de R$ 5 mil. Diante dessas razões, há uma dificuldade muito grande em manter o quadro de servidores”, justificou.

O gerente disse ainda que caso não ocorra o concurso previsto para segundo semestre, ele fará um esforço concentrado no sentido de conseguir a autorização do órgão, em Brasília, para que seja efetuado o credenciamento de um ou dois profissionais da área médica da cidade para prestar atendimento no INSS.  “Sabemos da deficiência e, ao mesmo tempo, entendemos a situação da população local. Nós não estamos tendo governabilidade sobre nada. Não temos poder em trazer perito ou mesmo contratar o profissional para trabalhar aqui. Dependemos do órgão junto o Governo Federal”, desabafou.

Na mesma linha do gerente, o chefe da sessão da saúde do trabalhador de Dourados, David de Freitas Junior, relatou os obstáculos encontrados para disponibilizar profissionais na área de perícia para atender a região. Segundo ele, há cerca de quatro anos, o efetivo de médicos peritos para atender a regional de Dourados girava em torno de 40 profissionais, sendo que, atualmente, o órgão conta com apenas 30. Além disso, ele frisou que alguns destes médicos estão de férias, outros afastados e alguns em processo de aposentadoria.

Saiba mais
  • Previdência poderá ser  representada sobre a não realização de perícias em Nova Andradina 
  • INSS se pronuncia sobre carência de peritos em Nova Andradina
  • Não realização de perícias no INSS de Nova Andradina  causa transtornos  à população
  • Nenão quer intervenção do MPF para que INSS realize perícias médicas no município
  • Casal  de  Nova Andradina sofre queda de moto enquanto seguia  para  perícia do INSS em Ivinhema 

Junior lembrou ainda que, há a anos, não há uma política por parte do Governo Federal para repor esses profissionais. Ele também descartou a possibilidade de fazer o remanejamento de um profissional de outra cidade para atender a demanda da região de Nova Andradina. 

 

Segundo ele, outros compromissos e até mesmo concursos assumidos por estes profissionais em suas cidades, dificultam seus deslocamentos para outras unidades.

Ao final, os dois representantes do órgão foram sabatinados pelos vereadores, que debateram várias saídas para tentar amenizar a questão, dentre elas, a possibilidade da realização de um mutirão por parte do INSS, no sentido de desafogar as pendências existentes na cidade, medida esta proposta pelo vereador e atual presidente, Cido Pantanal.

Outra ideia proposta pelos vereadores foi a de uma audiência, que seria articulada pela bancada federal, em Brasília, no sentido de marcar uma audiência com o ministro da Previdência,  Carlos Eduardo Gabas, para que as autoridades locais discutissem, junto ao ministério, medidas para que a falta de peritos na agência do INSS  de Nova Andradina fosse solucionada com urgência.  

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.