Buscar

BNDES reforça apoio a agroindústrias

Iniciativa soma cerca de R$ 94 milhões, sendo R$ 30 milhões em projetos já foram contratados

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, assegurou a contrapartida da instituição ao programa Terra Forte. A iniciativa soma cerca de R$ 94 milhões, sendo R$ 30 milhões em projetos já contratados e outros R$ 30 milhões sob análise técnica. Os demais ainda serão analisados. O anúncio foi feito durante reunião de Coutinho com a presidente do Incra, Maria Lúcia Falcón, ocorrida nesta quinta-feira (11), no Rio de Janeiro.

O objetivo do Programa Terra Forte é modernizar empreendimentos coletivos agroindustriais em projetos de assentamento da Reforma Agrária, criados ou reconhecidos pelo Incra, em todo o território nacional.

Ao todo, são 32 projetos qualificados no edital de seleção promovido pelo Incra e parceiros do Terra Forte, dos quais três já foram aprovados no Comitê Gestor do programa. 

Outros três estão sob análise da Fundação Banco do Brasil e BNDES e 26 resolvendo algum tipo de pendência. Seis já foram ajustados e 20 estão em fase de ajustes pelas cooperativas. A maioria aguarda licenciamento ambiental e outorga de água, concedido pelo poder público estadual ou municipal.

Parcerias

Além do BNDES, o Terra Forte tem a parceria da Fundação Banco do Brasil e do Banco do Brasil. Uma reunião em Brasília com a direção do Banco do Brasil (BB) vai discutir medidas que acelerem a liberação de recursos para os projetos.

O Incra também vai buscar a participação de outras instituições financeiras no Terra Forte, como o Banco da Amazônia e Banco do Nordeste. Os projetos aprovados envolvem 116 mil famílias na produção de matéria-prima que serão fornecidas para as agroindústrias.

Sob a coordenação da presidente Lúcia Falcón, foram realizadas diversas reuniões no BNDES ao longo da quarta-feira com a finalidade de aproximar o Incra da instituição financeira.

Fundo Amazônia

A primeira reunião foi com o diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e de Inclusão Social, José Henrique Paim. Ele tratou da carta-consulta que será apresentada ao Fundo Amazônia, no âmbito do Programa Assentamentos Verdes.

O programa prevê a captação de R$ 86 milhões para ações de fortalecimento institucional e de gestão de projetos, combate e controle ao desmatamento, regularização ambiental e fundiária de assentamentos na Amazônia Legal. São 1.270 projetos de assentamentos, em uma área de 17,7 milhões de hectares onde vivem 263 mil famílias.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.