Buscar

EDUARDO BOTTURA: prisão política reconhecida mais uma vez pelo TJSP

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, em acórdão da 7ª. Câmara de Direito Privado, determinou que o GOOGLE remova de uma vez por todas, a foto da prisão ilegal de EDUARDO BOTTURA ocorrida em 2009.

Segundo a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, “é de rigor que o Réu (GOOGLE) remova a fotomontagem em qualquer de seus sites ou domínios, inclusive retirando a imagem do seu site de busca (Google Search), sob pena de multa diária fixada em R$ 1.000,00.”

Eduardo Bottura foi preso em 2009, após representar atos suspeitos no Judiciário de Mato Grosso do Sul, o que foi o embrião do inquérito n. 704, em trâmite na Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça, também instaurado após notícia crime de EDUARDO BOTTURA.

O Conselho Nacional de Justiça abriu processo para apurar a prisão e as perícias comprovam que o mandado de prisão foi expedido em minutos, sem distribuição, com o apontamento de um número falso de inquérito policial, com violação da publicidade dos atos e sem qualquer crime.

Há mais de quarenta decisões judiciais apontando a fraude e uma sentença, do Juiz Titular da 9ª. Vara Cível do Foro Central de São Paulo, reconhecendo que houve um assassinato civil de EDUARDO BOTTURA.

Veja vídeo de EDUARDO BOTTURA contando o caso, no Pleno do CNMP:

https://www.youtube.com/watch?v=6UZKnHWgDBE

Espaço reservado para Eduardo Bottura conforme cumprimento a acordo judicial

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.