Buscar

Antecipar compra de material escolar pode ser vantajoso

Consumidores de Nova Andradina devem estar atentos na escolha dos itens

Empresário diz que consumidor deve estar atento (Foto: Acácio Gomes)

No mês de fevereiro, quando começa o ano letivo, é comum a movimentação de pais e filhos nas livrarias e papelarias em busca de materiais escolares. 

 

No entanto, antecipar a compra de alguns itens antes da emissão das listas das escolas pode representar mais economia e comodidade para os clientes. Além de evitar filas nas lojas, os consumidores podem escapar de possíveis reajustes praticados pelo mercado.

Segundo o empresário Juvenal de Souza, responsável pela Livraria e Papelaria Integração, que atua há 29 anos no ramo de material escolar em Nova Andradina, os pais devem evitar as compras na última hora. Conforme o empresário, são inúmeros os benefícios de se adquirir os produtos com antecedência, entre eles, encontrar mais opções no estoque.

O comerciante explica que um dos pontos positivos de se fazer as compras em janeiro é a comodidade. "Como o movimento é menor, as pessoas tem todo o tempo para escolher os itens de sua preferência, tirar dúvidas sobre as características dos produtos e contar com mais atenção dos funcionários, o que nem sempre ocorre quando todas as escolas emitem as listas e a demanda aumenta de forma considerável", pontuou.

Marcas x economia

Souza explica que é importante o consumidor analisar com cautela os materiais adquiridos, uma vez que, dependendo da marca e do modelo, os preços podem variar de forma brusca. Ele citou o exemplo de um frasco de cola da marca Tenaz, cujo preço pode ser até três vezes maior do que um produto similar, de marca menos tradicional. Uma régua transparente de acrílico com 30 centímetros, também pode custar ao consumidor o triplo de outra régua, do mesmo tamanho, confeccionada em plástico simples.

O empresário também comparou os cadernos, que dependendo do desenho ou imagem estampada na capa, podem custar até três vezes mais do que um caderno da mesma marca, com uma capa mais simples. "Por causa dos direitos autorais dos personagens da capa, geralmente de produtoras americanas, a pessoa paga bem mais caro por um produto que, na verdade, terá a mesma utilidade do caderno convencional", explicou Juvenal de Souza.

Uma das principais dicas da Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) para qualquer relação de consumo é evitar levar as crianças no ato da compra, uma vez que, elas se sentem atraídas por determinados produtos divulgados pela mídia e acabam convencendo os pais a adquirir itens que, muitas vezes, estão além do orçamento familiar.

O empresário revelou que muitos pais, com faixa etária mais avançada, pagam caro por comprar marcas e não produtos. "Antigamente, quando as pessoas que, hoje são pais e mães, eram jovens, havia poucas opções de escolha. Cola era só Tenaz, caneta era só Bic, caderno era só Tilibra, então, hoje em dia, estas pessoas acabam comprando produtos para seus filhos pela marca e se esquecem que há uma infinidade de empresas novas que entraram no mercado para abrir concorrência e derrubar os preços", analisou. 

Atendimento: quanto mais cedo as compras forem feitas, melhor a comodidade nas lojas (Foto: Acácio Gomes)

Estratégias

Entre as práticas adotadas pelo empresário, está a aquisição de estoques bem antes do período de volta às aulas. Segundo ele, esta é uma forma eficaz de se garantir melhores preços. "Todos os produtos que estão nas prateleiras à disposição dos clientes em 2014 foram adquiridos entre os meses de setembro e outubro de 2013. Assim consigo escapar dos reajustes praticados pelas fábricas em janeiro", revela. 

Outra estratégia do comerciante é a visita anual em todas as escolas de Nova Andradina, onde realiza levantamento das listas de materiais escolares de todas as séries, tanto de instituições privadas, como públicas municipais e estaduais. "Quando os pais chegam, eu pergunto qual a série e em que escola o filho estuda e, então, já tenho em mãos a relação dos produtos e o valor aproximado daquela compra. Isso poupa tempo dos clientes que não precisam esperar pela lista da escola e evita transtornos, pois os pais já sabem quanto vão pagar ao passar pelo caixa", comenta ele.

Além de vários métodos para economizar tempo e dinheiro, os alunos podem ainda personalizar os materiais escolares doados todos os anos pelo Governo do Estado, que, segundo o proprietário da loja, são de excelente qualidade. "A qualidade das folhas e da capa do caderno fornecido gratuitamente é exatamente a mesma dos cadernos de marcas famosas. Se a pessoa não gosta da estampa original, pode procurar uma papelaria e personalizar o produto com uma foto do namorado ou namorada, um retrato de família ou outra paisagem de sua preferência", sugeriu Juvenal de Souza.

Reutilização

Outra dica válida é o reaproveitamento de canetas, lápis, borrachas, tubos de cola e outros produtos que porventura não tenham sido totalmente consumidos no ano anterior. Objetos como réguas, apontadores, estojos e mochilas, que geralmente têm longa vida útil, também podem ser utilizados pelo mesmo aluno por mais de um ano, transferidos para irmãos ou doados a famílias carentes que não tenham condições de comprá-los.   

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.