Buscar

Após operação do Gaeco, Prefeitura de Batayporã retoma expediente normal nesta quarta-feira (31)

Agentes apreenderam mais de R$ 42 mil em dinheiro, documentos e celulares

Imagem: Divulgação

Cb image default

Após a operação “Jogo Sujo”, realizada nesta terça-feira (30) pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, a Prefeitura Municipal de Batayporã retomou seu expediente normal nesta quarta (31).

O Nova News tentou falar com o setor jurídico do Poder Executivo para saber se havia alguma declaração à imprensa, porém, em decorrência de uma audiência pública que ocorria na Câmara Municipal, sobre metas fiscais, não foi possível o contato.

Conforme já havia sido noticiado pelo site, nesta terça (30), a cidade foi alvo da operação desencadeada para apurar supostas irregularidades na aquisição de materiais esportivos.

Os agentes chegaram por volta das 06h, entraram nas dependências do Paço Municipal e as portas foram fechadas. Servidores que chegaram para trabalhar por volta das 07h, não puderam entrar e, em seguida, foram dispensados, restando apenas aqueles ligados ao setor administrativo.

Sete mandados de busca e apreensão foram cumpridos na prefeitura e em residências de pessoas ligadas à Administração Municipal.

Em um dos imóveis, os agentes encontraram mais de R$ 42 mil em dinheiro. Ao valor foi apreendido para as devidas investigações. Também foram recolhidos documentos e telefones celulares.

Após a conclusão dos trabalhos, o Gaeco, por meio da página do MP-MS publicou uma nota oficial sobre a operação realizada em Batayporã. Confira na íntegra:

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO) e da Promotoria de Justiça de Batayporã, deflagrou na manhã desta terça-feira (30/7) a Operação “Jogo Sujo”, voltada à repressão dos crimes de peculato, falsidade ideológica e fraude a processo licitatório.

As investigações revelaram fraude na licitação para a aquisição de material esportivo, troféus, medalhas e uniformes no âmbito da Secretaria de Esportes de Batayporã, por meio de empresa de fachada (falsidade ideológica), com o consequente desvio de dinheiro público.

As equipes do GAECO cumpriram sete mandados de busca e apreensão na residência de servidores públicos municipais e de empresários, como também na sede da Prefeitura Municipal de Batayporã, especificamente nas salas funcionais dos agentes públicos investigados.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.