Buscar

Após reunião com prefeito, APAE de Batayporã retoma atendimento nesta terça-feira (20)

Escola de Educação Especial havia fechado as portas no dia 06 de agosto

Imagem: Arquivo / Nova News

Cb image default

Após reunião realizada na manhã desta segunda-feira (19) entre representantes da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e o prefeito de Batayporã, Jorge Takahashi, os membros da entidade decidiram voltar ao trabalho a partir desta terça-feira (20).

Conforme apurado pelo Nova News, durante o encontro, a proposta apresentada pelo chefe do Poder Executivo foi de quitar as pendências no mês de outubro, alegando a falta de recursos financeiros para o pagamento imediato de toda a dívida.

Por outro lado, a direção da APAE fez uma contraproposta, que seria o repasse de R$ 12 mil agora em agosto, R$ 24 mil em setembro e R$ 66 mil em outubro, totalizando R$ 102 mil, que, somados aos R$ 12 mil que foram liberados na última semana, liquidariam a dívida de R$ 114 mil.

Takahashi afirmou que vai analisar a contraproposta feita pela entidade para ver se há possibilidade de efetuar a quitação desta forma, sendo que um posicionamento deve ser emitido até quinta-feira (22).

Segundo os representantes da entidade, diante da possível sinalização de um acordo, a Escola de Educação Especial “Luz do Amanhã”, que atende 82 alunos com deficiência intelectual e múltipla e que suspendeu suas atividades no dia 06 de agosto, deve voltar a operar nesta terça (20).

Além de membros da APAE e da Administração Municipal, a reunião contou com a participação de vereadores e de integrantes da Federação Estadual das APAEs de Mato Grosso do Sul. 

Entenda o caso

Conforme já vem sendo noticiado pelo Nova News, na terça-feira (06), a Escola de Educação Especial “Luz do Amanhã”, mantida pela APAE, suspendeu o atendimento aos 82 alunos matriculados devido à falta de repasses por parte da Prefeitura Municipal desde novembro de 2018.

Sem condições de pagar despesas como água, luz, merenda, materiais de higiene e limpeza e até mesmo os salários dos profissionais que atuam no local, a entidade decidiu fechar as portas. Agora, com a possibilidade de um acordo, os responsáveis pela instituição decidiram reativar a unidade.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.