Buscar

Área rural de Batayporã também sofre com alagamentos

Imagem: Acácio Gomes/Nova News

A exemplo do que acontece na zona urbana de Batayporã, com os constantes alagamentos provocados pelas cheias da Lagoa do Sapo, a população residente na área rural do município, principalmente na região do Bairro Pindocaré, também tem sofrido com as fortes chuvas registradas neste mês de fevereiro. Na tarde deste domingo (15), o Nova News esteve na estrada vicinal que dá acesso ao Cemitério Municipal e pode constatar o grande alagamento que se formou no local.

Os tubos que escoam a água da Lagoa do Sapo são direcionados para aquela região, porém, logo após o cemitério, as galerias desembocam em uma valeta que, não suporta a vazão e acaba transbordando, fazendo com que a água tome conta da estrada. A enxurrada também invadiu propriedades rurais existentes naquela localidade. As pessoas que moram na chácara de um empresário da cidade precisaram deixar o local às pressas porque até a sede ficou alagada.

Pessoas que moram na região afirmam que cada vez que a Lagoa do Sapo enche, a situação no Bairro Pindocaré também fica delicada. “Muitas pessoas pensam que o problema da lagoa só afeta quem mora na cidade, mas não lembram que toda a enchente do lago é descartada aqui e a gente também sofre com isso. Muitos proprietários rurais estão praticamente ilhados, sem poder sair de seus sítios”, disse um homem.

Segundo a assessoria da Prefeitura Municipal de Batayporã, na manhã desta segunda-feira (16) foi realizada uma reunião para tratar sobre os estragos da enchente tanto na área urbana quanto na zona rural. Nos próximos dias, equipes da Secretaria de Agricultura irão percorrer as estradas rurais para providenciar os reparos necessários.   

Imagens: Acácio Gomes/Nova News

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.