Buscar

Batayporã - Gaeco apreende mais de R$ 40 mil em residência durante a Operação ‘Jogo Sujo’

Aquisição irregular de material esportivo pode ter motivado ação do Ministério Público

Imagens: Divulgação

Cb image default

Por volta das 11h35 desta terça-feira (30), o Nova News apurou que, durante a Operação ‘Jogo Sujo’, realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MP-MS), mais de R$ 40 mil em dinheiro foram apreendidos em uma residência na cidade.

O valor foi localizado durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Segundo as informações levantadas pela reportagem, o Ministério Público deverá apurar se a origem do dinheiro é lícita ou ilícita, bem como o motivo de o montante estar sendo guardado em casa.

As equipes também estiveram em outras residências de pessoas ligadas à Administração Municipal e também na sede da Prefeitura de Batayporã. Ao todo, sete mandados de busca e apreensão foram cumpridos, mas ninguém foi preso.

Cb image default

Batizada de ‘Jogo Sujo’, a operação pode ter sido motivada pela suposta aquisição irregular de materiais esportivos e visaria combater ilícitos como fraude em processo licitatório, peculato e falsidade ideológica.

Os agentes chegaram por volta das 06h, entraram nas dependências do Paço Municipal e as portas foram fechadas. Servidores que chegaram para trabalhar por volta das 07h, não puderam entrar.

Por volta das 07h40, os servidores que se aglomeravam em frente à prefeitura foram dispensados, restando apenas àqueles ligados ao setor administrativo do Poder Executivo local.

O Gaeco, por meio da página do MP-MS publicou uma nota oficial sobre a operação realizada em Batayporã. Confira na íntegra:

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO) e da Promotoria de Justiça de Batayporã, deflagrou na manhã desta terça-feira (30/7) a Operação “Jogo Sujo”, voltada à repressão dos crimes de peculato, falsidade ideológica e fraude a processo licitatório.

As investigações revelaram fraude na licitação para a aquisição de material esportivo, troféus, medalhas e uniformes no âmbito da Secretaria de Esportes de Batayporã, por meio de empresa de fachada (falsidade ideológica), com o consequente desvio de dinheiro público.

As equipes do GAECO cumpriram sete mandados de busca e apreensão na residência de servidores públicos municipais e de empresários, como também na sede da Prefeitura Municipal de Batayporã, especificamente nas salas funcionais dos agentes públicos investigados. (*Matéria atualizada às 15h44, para acréscimo de informações).

Cb image default

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.