Publicado em 08/02/2019 às 14:51, Atualizado em 08/02/2019 às 17:56

Batayporã - Reunião na governadoria pode por fim a impasse sobre frigorífico fechado desde 2015

Agenda está programada para terça-feira (12), em Campo Grande

Acácio Gomes, Redação Nova News
Cb image default
Frigorífico que chegou a gerar mais de 700 empregos diretos está fechado desde julho de 2015 - Imagem: Acácio Gomes / Nova News

Na tarde desta sexta-feira (08), o Nova News apurou que uma reunião agendada para a próxima terça-feira (12), na Governadoria, em Campo Grande, pode definir o destino do frigorífico de Batayporã, que chegou a gerar mais de 700 empregos diretos e que está fechado desde 2015.

A agenda, que ocorrerá na Capital, deverá contar com a presença de representantes da Minerva Foods; do governador Reinaldo Azambuja; do assessor especial do Governo do Estado na região do Vale do Ivinhema, Márcio Andrade (Pezão); do prefeito de Batayporã, Jorge Takahashi; do representante do Setor de Indústrias e Comércios de Batayporã, Miguel Monteiro, e do responsável pela planta frigorífica Ademar Capuci.

Durante o encontro as lideranças deverão tentar chegar a consenso com relação à possibilidade de reativação do frigorífico que chegou a ser um dos maiores geradores de empregos de Batayporã, ofertando postos de trabalhos até mesmo para pessoas residentes em outras cidades da região.

Também foi apurado pelo Nova News que, o Ministério Público, por meio da Promotoria de Justiça de Batayporã, encaminhou ofícios à Prefeitura Municipal e à Câmara Municipal, solicitando informações detalhadas sobre as articulações que vêm sendo feitas com objetivo de que a indústria volte a operar e a gerar emprego e renda para a população.

Mobilizações

Desde novembro de 2018, lideranças locais e regionais iniciaram uma mobilização pela reativação do frigorífico de Batayporã. Nos últimos meses ocorreram diversas reuniões, uma audiência pública, aprovação de lei e demais movimentos relativos ao tema.

Representantes do Setor de Indústrias e Comércios de Batayporã, Associação Empresarial de Batayporã, Sindicato Rural de Batayporã e do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Nova Andradina e Região estão empreendendo esforços no sentido de fazer com que a planta frigorífica volte a operar, seja sob a bandeira da Minerva Foods, que continua como locatária do imóvel, porém, sem produzir, ou de outro grupo interessado.

Segundo os representantes das instituições que encabeçam o movimento, há uma carta de intenções de um empresário do ramo frigorífico de Goiás, que manifesta publicamente interesse em se instalar no município. “Não podemos aceitar que o frigorífico fique parado, sem gerar empregos, enquanto outras empresas que poderiam se instalar aqui não tenham esta oportunidade”, afirmam eles.

Toda esta mobilização levou a Câmara Municipal a aprovar a indicação 085/2018, sobre a revogação da lei 259/93, de 20 de outubro de 1993, que trata da doação área da planta frigorífica do município a um grupo de empresários da região. A lei já foi sancionada pelo Poder Executivo.

A partir de agora, o município de Batayporã pode, em tese, fazer valer a lei 116/89, de 28 de julho de 1989, que estabelece que o imóvel onde está instalado o frigorífico volte ao poder do município caso a indústria não esteja em atividade. Além da aprovação da lei, vários órgãos, entre eles o Ministério Público e o Governo do Estado foram acionados a acompanharem o caso.

Segundo as lideranças envolvidas na causa, não haverá descanso enquanto a questão do frigorífico não for resolvida. “Nossa luta é pela reativação da unidade e pela geração de empregos à população. Se para isso forem necessárias medidas extremas, é isso que faremos”, afirma um representante das entidades envolvidas no movimento.