Buscar

Bloqueio da rodovia BR-267, na região de Nova Andradina, chega ao fim após seis horas

A BR pode ser novamente interditada uma vez que o MST ainda não teria recebido um parecer do INCRA nacional 

Imagem: Almir Portela/Nova News

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o grupo pertencente ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), formado por cerca de 100 famílias, liberou a BR-267, região de Nova Casa Verde, em Nova Andradina. 

 

Os manifestantes haviam iniciado o bloqueio na manhã desta quinta-feira (07), por volta das 06h. Com pneus e pedaços de madeira, os manifestantes interditaram a via e permitiam apenas a passagem de ambulâncias e cargas perecíveis.

O Nova News manteve contato com Jonas Carlos da Conceição, membro da diretoria nacional do MST, e ele informou que a principal pauta de reivindicação do movimento é a nomeação de um novo superintendente para o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) em Mato Grosso do Sul.

Segundo Jonas, com o pedido de exoneração do ex-superintendente, Celso Cestari, o INCRA-MS teria nomeado o superintendente adjunto, Sidnei Almeida, para ocupar o cargo interinamente, porém, o MST entende que a autonomia do cargo interino não seria suficiente pata atender as demandas da classe.

Nas palavras de Conceição, o movimento aguardava o contato de Brasília (DF) para que houvesse a nomeação e assim as negociações pudessem ser iniciadas. “Queremos prioridade de assentamento para as famílias acampadas às margens de rodovias”, explica.

Saiba mais
  • Sem-terras bloqueiam rodovia BR-267 na região de Nova Andradina 
  • Celso Cestari pede exoneração da superintendência do Incra em MS

Mesmo declarando que a liberação da pista só iria ocorrer após o contato do INCRA nacional, os manifestantes deixaram o local sem que houvesse esse contato por parte de Brasília. 

 

Além da BR-267, em Nova Andradina, cerca de 500 pessoas também ocuparam a sede do órgão em Campo Grande. 

O bloqueio da BR-267 deixou a região de Nova Andradina sem acesso à Capital do Estado. A opção para quem precisou ir à Campo Grande foi buscar rotas alternativas, como a rodovia MS-040, que liga Santa Rita do Pardo a Campo Grande, via Bataguassu. Na manhã desta quinta-feira (07), três viaturas da PRF monitoravam o movimento. 

Imagens: Almir Portela/Nova News

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.