Buscar

Campanha “Adorno Zero” é adotada no Hospital Regional de Nova Andradina

Campanha previne risco de contaminação à saúde de pacientes e trabalhadores

Imagem: Divulgação

Cb image default

A maioria das pessoas gosta de usar adereços, mas num ambiente hospitalar isso se torna um problema, principalmente porque, é comum a presença de bactérias multirresistentes, que podem se fixar em adornos metálicos.

Por isso, o Hospital Regional de Nova Andradina desenvolve esta semana a Campanha Adorno Zero, que tem como tema “Zero Perigo, Zero Infecção, Zero Adorno” e como lema “Na Área Assistencial, mostre sua beleza natural”!

A ação busca a sensibilização dos profissionais da instituição quanto ao cumprimento da NR 32, que proíbe o uso de adornos pelos profissionais dentro de áreas assistenciais, reduzindo o risco de contaminação à saúde dos trabalhadores e dos pacientes.

Desenvolvida por meio de uma parceria entre o Setor de Segurança do Paciente, Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e Educação Permanente, a primeira ação foi realizada no dia 17 de junho, sob a coordenação do diretor geral, Nelson Custódio da Silva e das enfermeiras Tatiane Negri e Simone Barbosa.

De acordo com informações da enfermeira-chefe Tatiane, todos os setores do hospital receberam orientações por meio da distribuição de materiais explicativos e saquinhos plásticos para os trabalhadores armazenarem, com segurança, seus adornos.

A equipe de segurança do paciente fixou cartazes, informes próximos aos pontos eletrônicos e placas de sinalização sobre a proibição de adornos para todos os trabalhadores que atuam nas áreas assistenciais, inclusive os que desempenham atividades administrativas, de higienização, nutrição e manutenção.

Os trabalhadores ainda foram orientados a utilizar o crachá de identificação e sobre o modo correto de higienizar as mãos, inclusive com reforço sobre a necessidade de se retirar os adornos antes mesmo desse procedimento.

Para a enfermeira Simone Barbosa, a implementação de medidas de prevenção e proteção à segurança dos trabalhadores é fundamental. “Muito importante esta campanha pois tenta barrar o trânsito de infecções cruzadas e traz benefícios ao paciente e a toda a equipe. Sucesso e conscientização”, declarou.

Nos próximos dias, a iniciativa deve abarcar setores e turnos ainda não visitados. A proposta da direção do HR é realizar esta campanha uma vez por ano, de modo atingir a meta de garantir aos nossos profissionais segurança e aos usuários uma assistência livre de danos e, acima de tudo, qualidade.

Norma regulamentadora

A campanha atende a Norma Regulamentadora 32 (NR 32), onde todo trabalhador do serviço de saúde, bem como aquele que exerce atividades de promoção e assistência à saúde exposto a agente biológico, independentemente da sua função, não deve utilizar adornos no ambiente de trabalho.

São considerados adornos: alianças, anéis, pulseiras, relógios de pulso, colares, brincos, broches, piercings expostos, crachás pendurados com cordão e gravatas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.