Buscar

Centro Comercial debate LDO 2017

LDO é programada por técnicos da administração municipal e em formato de consulta de participação popular

Teve início nesta segunda-feira (04) a série de Audiências Públicas para a elaboração da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2017. Realizado no Auditório da Prefeitura de Nova Andradina, o encontro reuniu representantes da Região I, composta pelo Centro Comercial. Instrumento que estabelece prioridades para o ano financeiro na gestão pública, a LDO é programada por técnicos da administração municipal e em formato de consulta de participação popular, para ampliar os canais de comunicação com a população de Nova Andradina.

Conduzida pelo secretário de Planejamento e Controle, Renato Pires, a audiência de estreia promoveu o levantamento de demandas da região e abordou os projetos em andamento e previstos para o próximo ano. 

De acordo com a Sempec, estão em andamento na região 1, as obras de Reforma da escola Municipal João de Lima Paes, a primeira fase da pavimentação asfáltica do bairro Centro, as duas primeiras etapas de Revitalização da Praça Brasil, a construção de uma Unidade Básica de Saúde, a reforma do Museu Municipal, as etapas 2 e 3 da Construção do Centro de Convenções, a recuperação de pavimentação asfáltica em diversas ruas e a execução de obra de Revitalização da Praça Centenário.

Região do Centro Comercial debateu instrumento que estabelece prioridades para o ano financeiro na gestão pública (Foto: Elaine Paes/PMNA)

Integram as obras previstas para 2017, três novas etapas de pavimentação no bairro Centro, as fases sequenciais de revitalização da Praça Brasil e do Centro de Convenções, além do projeto de recuperação de Pavimentação Asfáltica em diversas ruas.

Como sugestão do Conselho Regional, serão executadas ainda este ano, obras de revitalização do Centro histórico de Nova Andradina. A iniciativa integra o programa Prefeitura nos Bairros, que prevê a aplicação de R$ 200.000,00 em recursos na região, através do gerenciamento do conselho representativo.

“Com base no Plano Diretor, criamos as regiões para promover a descentralização da administração. Assim, levantamos as demandas e fazemos as análises técnicas e orçamentárias. Se os pleitos puderem ser atendidos de imediato, damos os encaminhamentos necessários, ou então consideramos a proposta de inclusão na LDO de 2017, ponderando inclusive, a necessidade de captação de recursos”, pontua o gestor.

O gestor frisa ainda que, apresentando sugestões e definindo as prioridades, os cidadãos tem a oportunidade de interagir com o poder público e de participar efetivamente da construção da lei que baliza o orçamento do município. “Pedimos que a população nos prestigie, para que assim, opine sobre sua região, principalmente sobre as áreas que esperam ser contempladas com prioridade na LDO“, justifica.

Nesta quarta-feira (06), os moradores da Região II, que integram os bairros Celina Gonçalves, Campo Verde, Edson Zanata, Pedro Pedrossian, Distrito Industrial Velho, Guiomar Soares, Horto Florestal e Jardim Universitário discutem a peça orçamentária. O evento acontece no auditório da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.