Quarta, 11 de Dezembro de 2019
Buscar

Cerca de 70 seminaristas peregrinam até  as  cidades de  Nova Andradina e Batayporã

Na tarde desta quinta feira (24), as cidades de Nova Andradina e Batayporã receberam mais de 70 seminaristas do Seminário Missionário Arquidiocesano Redemptoris Mater, de Brasília (DF). Os jovens iniciaram uma peregrinação na última segunda-feira (21) na cidade de Coxim e, nesta quinta-feira (24), foram acolhidos pelas famílias do Caminho Neocatecumenal de Nova Andradina e Batayporã.

Seminaristas peregrinam cerca de 14 quilômetros até a cidade de Nova Andradina (Foto: Germino Roz/Nova News )

Com o propósito de peregrinar, antes de chegar às cidades destino, os seminaristas abandonam o transporte motorizado e seguem cerca de 14 quilômetros a pé. Os 46 seminaristas que ficarão em Nova Andradina, desceram nas proximidades da empresa Tora Forte, de onde seguiram a pé até o Santuário Imaculado Coração de Maria. Já os outros 28 seminaristas partiram do Posto Tigrão I, na saída de Nova Andradina e, seguiram pela MS-134, até a Igreja Matriz de Batayporã.

Segundo o responsável pelo Caminho Neocatecumenal de Nova Andradina, Acácio Luiz Sampaio, a peregrinação é um momento significativo na vida dos seminaristas. “Esses jovens estão tendo a oportunidade de ter contato com diversas expressões de fé, nas várias localidades por onde passam, além de estar em contínua oração e partilha, em busca da graça de Deus. Ser peregrino é procurar a humildade e abandonar-se a providencia do Senhor”, explicou.

Diácono Gilvan Medeiros revela que a alegria é a principal arma contra o cansaço (Foto: Germino Roz/Nova News )

Nas palavras do diácono Gilvan Medeiros, a peregrinação faz referência aos dois discípulos de Emaús, que depois da morte de Cristo, caminhavam desacreditados e, durante essa caminhada tiveram um encontro com Jesus. O jovem explica que os discípulos não reconheceram Jesus, porém, no momento que Cristo explica as escrituras e parte o pão, os discípulos sentem o coração arder, e então eles reconhecem Cristo, que desaparece em seguida. Após a passagem os discípulos de Emaús retornam para Jerusalém para anunciar Jesus ressuscitado. “Cristo desaparece porque já estava neles”, explica o jovem. “Nossa peregrinação é isso, esses discípulos que caminham, para ter um encontro com Cristo e, depois voltar e anunciar o Cristo Ressuscitado”, finalizou.

Segundo o seminarista André Murilo de 31 anos, natural de Assis (SP), que esta no novo ano de seminário, a peregrinação resulta no anúncio da ressurreição de Cristo. “O seminário nos proporciona essa oportunidade, de viver essa experiência e, anunciar Cristo ressuscitado, por onde quer que passemos”, disse. André conta que é a primeira vez que realiza a peregrinação no Brasil com o seminário de Brasília, onde esta há apenas um ano. De acordo com ele, sua formação religiosa se iniciou na Holanda e, lá também são realizadas peregrinações depois da Páscoa. “Ao longo dos meus anos de caminhada, eu já peregrinei na França, Espanha, Alemanha, na Itália, Israel, Egito e em muitos outros lugares”, afirmou.

Peregrinos fazem paradas para ter a palavra de Deus e fazer orações e meditar (Foto: Germino Roz/Nova News )

O seminarista Isaac falou sobre a receptividade das pessoas das comunidades por onde a peregrinação passou. “Desde Coxim até aqui a recepção tem sido fantástica, vemos a presença de muita alegria e muito amor por onde passamos e, o caminho é o que é, tem dificuldades, dores nas pernas, muito cansaço, mas no fim, é gratificante”, disse.

Às 18h30 houve a Santa Missa em ação de graças no Santuário Imaculado Coração de Maria, onde os seminaristas receberam a bênção do reitor, padre Ângelo Gaio, já em Batayporã, a celebração teve início às 19h na Igreja Matriz e, foi celebrada pelo pároco, padre Ibanor Zanatta. Na manhã desta sexta-feira (25), a peregrinação continuou e os jovens seguiram para seu destino final, na cidade de Dourados. 

Imagens: Germino Roz/Nova News

Percurso

A peregrinação teve início nesta segunda-feira (21) na cidade de Coxim, extremo norte do Estado de Mato Grosso do Sul, onde os seminaristas foram  acolhidos pelo Bispo Diocesano, na Catedral São José. Na terça-feira (22), os jovem partiram para a Capital, Campo Grande. Na quarta-feira (23) a cidade de Maracaju acolheu os seminaristas. Nesta quinta-feira (24) eles permanecem em Nova Andradina e Batayporã e, na manhã desta sexta-feira (25), a peregrinação segue para Dourados, onde, no sábado (26) haverá, uma procissão. Ás 15h, haverá Missa Solene, presidida pelo bispo diocesano de Dourados, Dom Redovino. Após a missa os peregrinos retornam para o seminário em Brasília (DF).

Setenta e quatro seminaristas de Brasília (DF) peregrinam por seis cidades do MS (Foto: Reprodução)

Seminário Redemptoris Mater

Os Seminários Redemptoris Mater nasceram a partir do carisma do Caminho Neocatecumenal, mas não pertencem ao movimento. As casas de formação são seminários diocesanos que dependem de seus bispos. Os seminaristas recebem a mesma formação teológica de outros seminários diocesanos, fazem um ano de pastoral nas paróquias como diáconos e dois anos na diocese como presbíteros, antes que o bispo possa enviá-los em missão.  No mundo, já existem mais de 100 seminários Redemptoris Mater. No Brasil, eles estão localizados em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Belém. 

Existem 100 Seminário Redemptoris Mater espalhados pelo mundo, quatro deles estão no Brasil (Foto: Reprodução)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.