Buscar

Com as contas no ‘vermelho’, lares de idosos vivem drama de sobrevivência na região

Realidade é a mesma em asilos de Nova Andradina e Batayporã que amargam dias de crise com ‘déficit’ nas alturas

Manter as contas em dias sem ficar no vermelho passou a ser desafio para os lares que abrigam idosos na região e que travam uma verdadeira batalha diária para não fecharem as portas.

Aprofundando o assunto, o Nova News foi acompanhar de perto a realidade do Lar Sagrado Coração Jesus com 37 anos de fundação em Nova Andradina. Com capacidade para 21 idosos, hoje são abrigados 18 internos e mais duas vagas serão preenchidas nos próximos dias. Um dado que chama a atenção é uma idosa que mora no local há três décadas e meia desde o ano de 1983.

Ouvido pela reportagem, o presidente da instituição, Rosival Ferreira da Silva, detalhou como é a atual situação financeira do lar. Segundo ele, o déficit hoje chega a cerca de R$ 22 mil e os últimos dias passaram a ser de uma corrida contra o tempo na missão de continuar assegurando o atendimento aos idosos que necessitam da entidade.

Cb image default
Lar em Nova Andradina movimenta uma receita de cerca de R$ 60 mil por mês - Fotos: Luciene Carvalho/Nova News

“Não é a primeira vez que o lar enfrenta dificuldades financeiras. Trata-se, na verdade, de uma luta diária para conseguirmos os recursos necessários. Desta vez, a situação foi agravada nos últimos dois meses e estamos procurando meios de firmar novas parceiras e até recorrer ao prefeito para ver se há a possibilidade de reajustar os valores dos convênios”, explana Silva.

Além dos convênios, o presidente explica que uma das maiores parcelas de contribuição é da sociedade em que o lar mais sobrevive de doações. “Quer seja através de doações diretas, promoções ou do telemarketing, a comunidade é nossa parceria e muito nos ajuda”, afirma.

Por mês, ele afirma que a receita do lar gira em torno de R$ 60 mil e passou a fechar na média de R$ 49 a R$ 53 mil. “O fluxo de caixa não é suficiente. O asilo é uma instituição de longa permanência e alguns idosos exigem mais cuidados devido à situação que se encontram. Quando algum fica doente, por exemplo, é necessário ter uma pessoa para fazer o acompanhamento no hospital e até gastos com exames às vezes precisamos realizar. Com isso, as despesas acabam saindo do orçamento com gastos excessivos que, posteriormente, precisamos contornar”, salienta Silva.

Mesmo enfrentando mais um período de crise, o presidente desmente comentários que o asilo está prestes a fechar. “Até onde existirem forças para lutar vamos adiante. Toda vez que necessitamos de ajuda a sociedade nunca nos deixa na mão e certamente voltará a apoiar a nossa causa. Quem se sentir tocado, convido para fazer uma visita e conhecer o lar a fim de ver de perto o trabalho que desenvolvemos. Um pouco de cada um pode fazer a diferença!”, conclui o gestor da instituição.

Lar de Batayporã também vive mesma realidade

Sobrevivendo a duras penas, o Lar Santo Antônio, que abriga 20 idosos em Batayporã, também amarga dias de crise. Procurada pelo Nova News, a presidente da instituição está de férias e a reportagem foi atendida pela vice Sonia Nantes de Lima.

Cb image default
Situação é ainda pior no asilo de Batayporá que há três meses não recebe repasse da Prefeitura - Foto: Nova News

O maior gargalo hoje enfrentado pelo lar, segundo a vice-presidente, é manter em dia o pagamento da folha salarial fixada em R$ 12 mil. Pelo verificado, o atraso já chega a três meses totalizando uma quantia de R$ 36 mil, valor esse proveniente do repasse da Prefeitura Municiapal que não está conseguindo honrar.

Dias atrás, Sonia expôs que foi mantida uma reunião na Prefeitura sobre o atraso em questão e a solução apresentada é que a situação poderá ser regularizada só daqui a dois meses. “Até lá, vamos realizar algum tipo de promoção para posteriormente sermos ressarcidos quando o repasse for normalizado”, enfatiza.

Assim como acontece na maioria dos lares, a vice-presidente explicou que o asilo de Batayporã sobrevive graças ao apoio da comunidade e não há a intenção de parar o atendimento. “Momentos de crise sempre existirão e o nosso compromisso é lutar pela causa que nos prontificamos a servir. Nossa preocupação maior é com as funcionárias que aqui temos que sozinhas mantêm suas casas sem ter o salário em dia e que mesmo assim não manifestam o desejo de parar de trabalhar. A certeza que temos é que podemos contar uma população generosa que sempre caminha lado a lado conosco”,

Dê sua parcela de contribuição

Faça uma visita e dê sua parcela de contribuição. O Lar Sagrado Coração de Jesus, em Nova Andradina, fica localizado na Rua Walter Hubacher, 04, no Conjunto Habitacional Pedro Pedrossian. O telefone para contato é o (67) 3441-1765.

Em Batayporã, o Lar Santo Antônio funciona na Avenida Brasil, 2285, centro. O telefone é o (67) 3443-1376.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.