Publicado em 30/03/2015 às 15:42, Atualizado em 26/04/2017 às 12:17

Com preço em baixa, produtores de Ivinhema prometem boicotar venda de mandioca 

Classe diz que nenhuma rama de mandioca será colhida até que o preço pago pela grama do produto chegue à R$ 0,55 

Germino Roz, Redação Nova News 

Na última semana os produtores de mandioca do município de Ivinhema realizaram uma reunião para debater a crise no setor. Os produtores buscam uma forma de criar um preço mínimo que faça frente aos custos de produção. Tendo em vista que hoje a grande maioria das empresam estão pagando cerca de R$ 0,28 centavos pela grama da mandioca. A classe luta para que esse preço suba R$ 0,27 centavos, alcançando a margem de R$ 0,55.

Uma das primeiras medidas adotadas pelos produtores, que já passa a valer a partir dessa semana, foi a suspensão da entrega dos produtos para as empresas. Uma comissão foi formada para que proceda com as negociações. Segundo a classe, nenhuma mandioca será colhida até que se chegue a um preço verdadeiramente justo.

Outra forma de protesto pode ser o bloqueio de rodovias que ligam empresas de mandioca e fécula, além de impedir que produtores entreguem seu produto. Segundo a organização, o município de Ivinhema conta hoje com uma área de mandioca plantada de aproximadamente quatro mil hectares.

Além da participação de centenas de produtores, a reunião contou com a presença do prefeito de Ivinhema Eder Uilson, o Tuta, do deputado estadual Renato Câmara, do presidente da Associação dos Produtores de Mandioca do Paraná (Aproman) Francisco Androvicis Abrunhoza, do secretário de agricultura de Ivinhema, Zeca Corte, vereadores e outras lideranças políticas. (Com informações e Imagem da Assessoria).