Buscar

Construída entre 2004 a 2018, obra do Anel Rodoviário totaliza investimentos de R$ 12,5 milhões

Dos recursos investidos, 48,84% foram aplicados nos primeiros 18 meses da gestão Gilberto Garcia

Imagem: Márcio Rogério / Nova News

Cb image default

A articulação política decisiva para a conclusão do Anel Rodoviário de Nova Andradina se deu nos primeiros 18 meses da atual gestão municipal. Antes mesmo de iniciar seu mandato em 2017, Gilberto Garcia buscou o apoio do Governo do Estado na conclusão do projeto, que esteve abandonado durante todo o período do mandato anterior (2013-2016).

Questão de honra para Gilberto Garcia, a obra então paralisada, teve sua situação agravada no final de 2015 pela erosão que engoliu a estrutura construída sobre o córrego Umbaracá. “Iniciamos a gestão levando a cabo a determinação de concluir esta obra estruturante e de tamanha importância para o trânsito. Enfrentamos, logo de cara, grandes entraves, por exemplo, recuperar o buracão que engoliu a estrutura feita entre 2009 a 2012, ainda em meu primeiro governo”, explicou Gilberto Garcia, que neste período aplicou 14,05% do total investido na rodovia.

Elaborado em 2002 pelo Governo Municipal, a execução do projeto foi autorizada pelo DNIT em 13 de dezembro de 2004, embora o pontapé inicial das obras se deu somente em dezembro de 2005. A primeira alça, concluída em 2008, no término do segundo mandato do ex-prefeito Roberto Hashioka, demandou 37,15% do total de recursos financeiros (valores não corrigidos), sendo gastos aproximadamente R$ 4,8 milhões de reais, recursos viabilizados através de emendas parlamentares federais.

Primeiros meses de gestão foram decisivos para a retomada e conclusão do contorno rodoviário

Os últimos 18 meses foram marcados pelo avanço e conclusão da obra. Desafios políticos, burocráticos e institucionais foram superados com a eficiência da Secretaria Municipal de Infraestrutura e pela credibilidade política do prefeito Gilberto Garcia, que já no primeiro mês de seu governo, determinou a execução da ponte sobre o Córrego Umbaracá, empreendimento financiado a partir de recursos federais indenizatórios ao Decreto de Estado de Calamidade em razão dos estragos das chuvas torrenciais ocorridas em 2015, o que garantiu R$ 952 mil reais, 7,60% do total investido.

Noutra frente, o prefeito acionou o governo do Estado, tanto em agenda na Capital, quanto em suas nas visitas institucionais à região, para que houvesse o atendimento ao pleito de concluir o anel rodoviário e entrega-lo já no ano seguinte.

Dessa maneira, o canteiro de obras foi retomado em outubro do ano passado e concluído ainda no terceiro semestre da atual administração. Para a conclusão do trecho de 3,2km da segunda alça foram investidos R$ 5,1 milhões de reais, que representam 41,24% dos gastos de toda a obra, que totalizaram R$ 12.527.778,93. A nova rodovia perimetral, uma das maiores do Estado de MS, foi liberada para o tráfego em 26 de junho e inaugurada em 3 de julho de 2018.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.