Buscar

Decisão judicial - Adolescente de Nova Andradina fará procedimento em hospital de Dourados

Município e Estado deverão arcar com o tratamento de Eduarda

Imagem: Cedida pela Família

Cb image default

Nesta quarta-feira (28), o Nova News levou ao ar reportagem sobre o caso da nova-andradinense Eduarda Priscila Gonçalves de Melo, que precisa passar por um procedimento médico avaliado em R$ 8.300,00. Nas últimas horas, uma decisão judicial deu à adolescente o direito de passar pela intervenção.

Ela está internada no Hospital Regional de Nova Andradina, onde teria sido diagnosticada com um quadro de pedra na vesícula. Segundo a família, como o caso de Eduarda é atípico, ela precisa passar pelo procedimento denominado Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica (CPRE).

Trata-se de um exame endoscópico que tem por objetivo detectar e tratar doenças que acometem os ductos de drenagem do fígado e do pâncreas, as vias biliares intra e extra-hepáticas, e o canal pancreático principal. O Nova News apurou junto a uma clínica de Dourados que, de fato, dependendo do caso, o valor do procedimento pode girar em torno de R$ 10 mil e não é coberto pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Sem condições financeiras de arcar com o procedimento, que poderia ser feito de forma particular em Dourados ou Campo Grande, a mãe da adolescente apelou por todos os meios possíveis a fim de conseguir a realização do procedimento, inclusive recorrendo à Defensoria Pública.

Nas últimas horas, um decisão judicial favorável à adolescente garantiu a ela o direito de passar pelo procedimentos, sendo que, conforme apurado, o município foi intimado a arcar com 50% do valor e o Estado a disponibilizar a outra metade.

Município

O secretário de Saúde de Nova Andradina, Arion Aislan, disse nesta quinta-feira (29), ao Nova News, que o município já estava tentando providenciar o tratamento o mais rápido possível.

“Estávamos aguardando orçamentos para fazer o procedimento de dispensa de licitação a fim de contratar o tratamento na rede particular, mas como saiu a decisão judicial, optamos por cumpri-la, o que tornará o atendimento à adolescente ainda mais rápido”, explicou.

Aislan disse inclusive que ainda nesta quinta-feira (29) o município deve liberar o valor correspondente à sua parte, seja por meio de depósito em conta judicial ou de bloqueio da quantia, bem como disponibilizar ambulância para que Eduarda seja encaminhada para Dourados. “Com o depósito judicial ou bloqueio em conta, a própria Justiça agiliza os trâmites. É menos burocracia”, explica.

Estado

Com relação aos 50% que deveriam ser disponibilizados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), o Nova News solicitou à assessoria da pasta que, por meio do número do processo ficou de verificar o andamento e dar um retorno à reportagem. No final da manhã, a pasta retornou ao site que até aquele momento ainda não havia sido intimada da decisão, mas que, assim que fosse, tomaria as providências.

Expectativa

Em contato com a mãe da garota, Rosilva Soares Gonçalves, de 38 anos, ela disse ao site que aguarda a transferência da adolescente a fim de que ela seja logo submetida ao tratamento. Desempregada, ela explica que o pai de Eduarda já é falecido e que a família sobrevive apenas com dinheiro de programas sociais. A moradora do Bairro Santo Antônio recorreu à Secretaria de Saúde, à Defensoria Pública e até pediu dinheiro pelas redes sociais, tudo na tentativa de que a filha conseguisse ser tratada.

“Saber que a Justiça emitiu esta decisão favorável à minha filha já é um alívio. Agora não vejo a hora de ela passar pelo procedimento e ficar boa de novo. Ela sente muita dor, não se alimenta direito e está internada desde segunda-feira (26). Tudo o que quero que é ver minha filha saudável e feliz”, finalizou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.