Domingo, 15 de Dezembro de 2019
Buscar

Em Ivinhema, campanha de prevenção ao suicídio recebe “energia positiva” com girassóis cultivados no presídio

A ideia surgiu da direção da unidade penal e envolveu toda a equipe de servidores na campanha

Imagens: Divulgação

Cb image default

Como forma de colaborar com a prevenção ao suicídio, reeducandos do Estabelecimento Penal Masculino de Regime Fechado de Ivinhema participam da campanha do Setembro Amarelo, através da plantação de dezenas de girassóis. A ideia surgiu da direção da unidade penal e envolveu toda a equipe de servidores na campanha.

Na última semana, as flores foram entregues para a Secretaria de Assistência Social de Ivinhema para complementar as ações que envolvem a campanha. A iniciativa teve início há dois meses atrás, com a plantação inicial de dez mudas, após o sucesso da colheita, foram plantadas mais duas carreiras das sementes de girassóis na horta da própria unidade penal.

De acordo com a sabedoria popular a flor de girassol significa felicidade. Sua cor amarela ou os tons cor de laranja das pétalas podem simbolizar calor, lealdade, entusiasmo e vitalidade, refletindo a energia positiva que emana do sol.

Cb image default

O projeto está sendo desenvolvido pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio da direção do estabelecimento penal e conta com o apoio de instituições públicas parcerias.

Conforme o diretor da unidade, Leôncio Elídio dos Santos Junior, todas as iniciativas têm uma finalidade específica que é unir a reintegração social de custodiados em benefício social. 

“As instituições são parceiras e aderiram juntas ao projeto, nosso objetivo agora é colher as rosas vermelhas e brancas, que já foram plantadas também, tudo com finalidade específica de doações a instituições públicas”, destacou agradecendo toda a equipe de servidores que contribuem para a realização de projetos como esses.

Dentre as entidades já beneficiadas estão a Prefeitura Municipal de Ivinhema, Câmara Municipal, secretarias municipais de Cultura, Educação e Saúde, além da promotoria de justiça, entre outras.

“A ideia é justamente enriquecer a campanha em alusão ao setembro amarelo e surgiu com o mesmo objetivo da horta: de que o sistema prisional também pode dar um retorno positivo à sociedade, através da mão de obra carcerária”, argumentou o diretor.

Para transmitir as técnicas necessárias do cultivo dos girassóis, assim como da horticultura, a Igreja Batista disponibilizou um engenheiro agrônomo, que ensina as especificidades aos internos, de forma voluntária. Ao todo, cinco internos trabalham no local e recebem remição de um dia na pena a cada três de serviços prestados, conforme estabelece a Lei de Execução Penal.

As flores também foram utilizadas em diferentes setores dentro da unidade penal como forma de reforçar a importância da campanha do Setembro Amarelo.

O diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, ressaltou que iniciativas como essa enobrecem o sistema penitenciário de Mato Grosso do Sul. “A ação une o trabalho prisional em prol da população, além de despertar a sociedade e os próprios internos para uma reflexão tão sensível – que é a questão do suicídio”, afirmou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.