Segunda, 16 de Dezembro de 2019
Buscar

Estudante do IFMS de Nova Andradina retorna após estágio de dois meses em Portugal

Alunos dos campi de Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Naviraí, Ponta Porã e Três Lagoas também participaram

Cb image default
Estudante Lara Lemes ao lado de Claudio Zarate Sanavria, diretor do campus de Nova Andradina - Imagem: Reprodução / Redes Sociais

Um grupo formado por dez estudantes do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), entre eles Lara Lemes, de 17 anos, aluna do 6º semestre do curso técnico integrado em Agropecuária de Nova Andradina, retornou de Portugal nesse final de semana. No país europeu, os jovens fizeram o estágio curricular obrigatório para conclusão de curso. A experiência no Instituto Politécnico de Bragança (IPB), que fica a 500 quilômetros da capital, Lisboa, durou dois meses.

Os estudantes, de cursos técnicos integrados e de graduação dos campi Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas, fizeram o estágio gratuitamente. O IFMS concedeu ainda R$ 8 mil a cada um, para o custeio de hospedagem, alimentação, seguro saúde, passagens aéreas e outras despesas.

As atividades foram desenvolvidas nas áreas de Agricultura, Agropecuária, Engenharias Civil e da Computação, Edificações, Eletrotécnica, Informática, Metalurgia e Química.

Com uma rotina que previa uma média diária de seis horas de estágio, os estudantes puderam não apenas adquirir conhecimentos voltados ao curso que fazem, como também tiveram contato com alunos de outros países, conheceram uma nova cultura e visitaram alguns dos locais mais importantes da Europa.

Cb image default
Estágio no Instituto Politécnico de Bragança, em Portugal, durou dois meses - Imagem: Arquivo Pessoal

Um grupo formado por dez estudantes do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) retornou de Portugal nesse final de semana. No país europeu, os jovens fizeram o estágio curricular obrigatório para conclusão de curso. A experiência no Instituto Politécnico de Bragança (IPB), que fica a 500 quilômetros da capital, Lisboa, durou dois meses.

Os estudantes, de cursos técnicos integrados e de graduação dos campi Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas, fizeram o estágio gratuitamente. O IFMS concedeu ainda R$ 8 mil a cada um, para o custeio de hospedagem, alimentação, seguro saúde, passagens aéreas e outras despesas.

As atividades foram desenvolvidas nas áreas de Agricultura, Agropecuária, Engenharias Civil e da Computação, Edificações, Eletrotécnica, Informática, Metalurgia e Química.

Com uma rotina que previa uma média diária de seis horas de estágio, os estudantes puderam não apenas adquirir conhecimentos voltados ao curso que fazem, como também tiveram contato com alunos de outros países, conheceram uma nova cultura e visitaram alguns dos locais mais importantes da Europa.

Cb image default
Lara (ao centro) está concluindo o curso técnico em Agropecuária em Nova Andradina - Imagem: Arquivo Pessoal

Conhecimento – Lara Lemes, 17, aluna do 6º semestre do curso técnico integrado em Agropecuária de Nova Andradina foi uma das participantes. 

O estágio que fez era focado na tecnologia e na qualidade da carne e da carcaça. Durante dois meses, teve como rotina analisar produtos cárneos em laboratório da instituição portuguesa.

A estudante relata que não possuía conhecimento extenso na área, uma vez que o contato com o conteúdo havia ocorrido nas aulas de disciplinas como Agroindustrialização e Bovinocultura, de caráter mais teórico. “Com a oportunidade do estágio no laboratório do IPB, ganhei experiências e obtive grandes conhecimentos na área”.

Manoela Carvalho, 16, aluna do 6º semestre do curso técnico integrado em Metalurgia do Campus Corumbá, desenvolveu atividades nos laboratórios de Mecânica e Geotécnica. “Eu ajudava nos ensaios feitos pelos alunos de graduação, mestrado e doutorado e depois fazia um relatório do ensaio. Entre os que acompanhei estavam os de resistência de solos, granulometria, resistência ao fogo e tração”, relata.

No caso de Brenda Rosa, 21, aluna do 9º semestre do curso de Licenciatura em Química do Campus Coxim, as atividades foram voltadas para Química Analítica. “Lá eu tive mais contato com a área, até mesmo em relação aos aparelhos e equipamentos. Consegui uma experiência maior em análises e preparações de padrões de acordo com as técnicas utilizadas”, comenta.

Convivência – O período em Portugal também abriu espaço para a convivência entre os alunos do IFMS e estudantes de outras nacionalidades. Como a maior parte dos estagiários do Instituto residiu no mesmo local, os laços entre eles se estreitaram durante os dois meses longe de casa.

“Nós nos tornamos uma família, um apoiando o outro, mantendo o respeito e a amizade acima de qualquer coisa”, ressalta Lara. A convivência com estudantes da África, Ásia e Europa também gerou situações inusitadas.

“No laboratório em que eu estava tinha muitos italianos. Era bem difícil, porque eles falavam tudo em inglês. Então, a comunicação era por mímicas mesmos (risos) ou por palavras-chave em inglês. Às vezes eles entendiam um pouco o português”, relembra Manoela.

Cb image default
Para Manoela, aluna de Metalurgia em Corumbá, foi a primeira viagem internacional - Imagem: Arquivo Pessoal

Cultura – Com tempo livre aos finais de semana, foi possível conhecer outros países europeus e visitar alguns dos pontos turísticos mais importantes do continente. Cada uma das estudantes aponta o momento mais marcante.

Para Lara, a visita ao Museu do Louvre, em Paris, ficará para sempre na memória. No maior museu de arte do mundo, a estudante de Nova Andradina viu de perto obras como Mona Lisa e a Vênus de Milo, entre outras. “Foi uma emoção ver pessoalmente inúmeras obras que nós só tínhamos contato por meio dos livros de arte ou pela internet”.

Ainda em Paris, Manoela destaca a visita à Torre Eiffel, edifício mais alto da cidade e monumento pago mais visitado do mundo. A estudante nunca havia saído da região de Corumbá.

"Paris é uma cidade linda, que eu sempre quis conhecer. Foi um sonho realizado. Como nunca tinha saído de casa, foi uma experiência desafiadora, que me deu responsabilidade e incentivo para buscar mais coisas na vida”.

Para Brenda, o momento mais marcante foi a visita ao Castelo de Bragança, que fica no centro histórico da cidade onde se localiza o IPB. Construído no século 13, tornou-se um monumento nacional português. “Nele pudemos conhecer um pouco da história de Bragança. Também se trata de uma construção muito antiga, por isso a curiosidade”.

Cb image default
Brenda, acadêmica de Química em Coxim, o estágio internacional só trouxe benefícios - Imagem: Arquivo Pessoal

Convênio – O estágio internacional foi viabilizado por meio de um acordo de cooperação internacional assinado entre IFMS e IPB em outubro do ano passado. Os estudantes embarcaram no final de setembro para Portugal.

O acordo tem vigência de cinco anos e prevê a realização conjunta de atividades acadêmicas, científicas, técnicas, pedagógicas e culturais em áreas de interesse comum, em especial no que se refere à mobilidade acadêmica.

A primeira foi a realização do estágio curricular obrigatório, que tem o objetivo de complementar a formação acadêmica do estudante, possibilitando a integração entre teoria e prática por meio do contato com a vida profissional.

A participação em estágios está prevista nos projetos pedagógicos dos cursos ofertados no IFMS. A carga horária precisa ser cumprida para que o estudante consiga a aprovação e o diploma de conclusão de curso.

“O IPB disponibilizou vagas para estágio em algumas áreas e distribuímos uma vaga para cada campus, de maneira a contemplar os cursos ofertados pelo IFMS. Com o retorno dos estudantes, avaliaremos o resultado. A ideia é tornar o estágio internacional um programa institucional”, explica o assessor de Relações Internacionais do IFMS, Flávio Rocha.

A seleção dos estudantes foi feita por meio do edital nº 048/2019 da Pró-Reitoria de Extensão (Proex).

Internacionalização - Além de contribuir para a formação dos estudantes, os acordos de cooperação internacionais beneficiam também servidores do IFMS.

Por meio de acordo celebrado com o Instituto Politécnico do Porto, por exemplo, servidores técnico-administrativos têm a oportunidade de cursar, desde 2017, o Mestrado em Assessoria de Administração na instituição portuguesa.

Atualmente, o IFMS possui oito acordos internacionais vigentes voltados a atividades de ensino, pesquisa e extensão que podem contemplar tanto estudantes quanto servidores.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.