Buscar

Ex-funcionários do Independência continuam recebendo acertos

Do dia 16/02 até esta semana, mais de 200 trabalhadores receberam

Os ex-funcionários do Frigorífico Independência de Nova Andradina continuam recebendo seus acertos trabalhistas. A afirmação é do advogado Lécio Gavinha, que concedeu entrevista ao Nova News na tarde desta quinta-feira (05).

Recentemente, em outra entrevista, o advogado havia dito que, até o final de fevereiro, os trabalhadores deveriam estar com os valores em mãos. Questionado sobre isso, Gavinha afirmou que desde o dia 16 de fevereiro os pagamentos estão ocorrendo.

Nas palavras dele, até o momento, mais de 200 ex-funcionários já foram até seu escritório para pegar os cheques, conferir o valor estipulado no edital e assinar o recibo. Outros 130 credores estão com os valores preparados para pagamento, bastando apenas seu comparecimento no escritório.

“Estamos tendo dificuldade em localizar estas 130 pessoas. Elas parecem ter trocado de telefone e mudado de endereço. Mas deixo, através da imprensa, o convite para que elas nos procurem, pois os seus valores já estão disponíveis”, afirma Lécio Gavinha.

Imagem: Nova News

Segundo o advogado, logo que os valores de seus clientes foram liberados, em 16 de fevereiro, o número de credores pagos chegava a 20 pessoas todos os dias, porém, no início de março, este número se reduziu, uma vez que os demais trabalhadores simplesmente não procuraram a advocacia para receber o pagamento.

“Estamos aqui à disposição de todos aqueles ex-funcionários do Frigorífico Independência que estão sendo representados por nossa advocacia. Se eles tiverem qualquer tipo de dúvida, podem nos procurar”, finalizou Lécio Gavinha.

Desde o dia 19 de janeiro, o Nova News preparou uma série de reportagens sobre as questões trabalhistas do Frigorífico Independência, uma vez que, seus ex-funcionários estavam há cerca de sete anos à espera de seus acertos.

Além dos clientes de Lécio Gavinha, trabalhadores representados por outros advogados também estão conseguindo receber seus acertos. No dia 23 de janeiro, os advogados Ilson Cherubim e Silvia Nascimento afirmaram que, dos cerca de 60 trabalhadores atendidos por eles, 95% já haviam recebido os valores até aquela data.

Imagem: Nova News

Saiba mais
  • Advogado Lécio Gavinha afirma que ex-trabalhadores do Independência devem receber nos próximos dias
  • Mais ex-funcionários do Independência conseguem receber acertos
  • Presidente do STIANA acredita que demais credores do Independência conseguirão receber
  • Ex-funcionários do Independência de Nova Andradina começam a receber acertos trabalhistas
  • Representantes dos trabalhadores do Independência se pronunciam sobre demora nos acertos
  • Ex-funcionários do Independência aguardam há sete anos por acertos trabalhistas

No dia 29 de janeiro, a advogada Cleonice Costa Farias, que representa cerca de 130 trabalhadores, afirmou ao Nova News que, deste total, cerca de 38 pessoas já estariam com os acertos pagos. Outros trabalhadores que devem receber a qualquer momento são aqueles da Transportadora Krakatowa, empresa que também pertencia ao Grupo Independência. 

Estes motoristas, no princípio, estavam sendo representados pelo advogado Jairo Marques de Cristo, mas ele substabeleceu o processo ao colega Edivaldo Rocha, que também se colocou à disposição dos ex-funcionários do Grupo Independência para esclarecer todas as dúvidas sobre o caso.

Neste mesmo dia, o Nova News apurou, junto ao próprio advogado, que os ex-funcionários da Krakatowa estavam fornecendo seus dados e números de contas bancárias para que a documentação fosse encaminhada à Comarca de Cajamar (SP), onde o processo tramita, a fim de que os depósitos pudessem ser providenciados.

Credores recebem 58,23% do que teriam direito

Segundo os advogados envolvidos no processo, quando o JBS adquiriu os ativos do Frigorífico Independência, ele propôs disponibilizar a quantia de R$ 15 milhões para quitar todas as pendências trabalhistas, no entanto, a dívida com os ex-funcionários gira em torno de R$ 26 milhões.

A negociação foi aprovada em assembleia, porém, como o valor pago pelo JBS é inferior ao montante da dívida trabalhista, a Justiça decidiu ratear esta quantia proporcionalmente entre os credores, chegando, desta forma, ao percentual de 58,23% para cada um.

De acordo com especialistas, é pouco provável que os ex-funcionários consigam, um dia, receber os outros 41,77% a que teriam direito, uma vez que não haveria outra fonte de recursos para esta finalidade.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.