Buscar

Fetems: Reforma administrativa é tema de debate em Bataguassu

A FETEMS e seus sindicatos filiados sempre lutaram contra o retrocesso nas políticas de valorização profissional e é nesse sentido que o Simted de Bataguassu está batalhando contra uma reforma administrativa que a prefeitura municipal quer realizar. Na tarde desta quinta-feira (27), uma comissão se reuniu, na sede do sindicato, com a presença do presidente da FETEMS, Roberto Magno Botareli Cesar, para debater os pontos que o poder público municipal deseja alterar.

Entre as questões abordadas está a redução de 33% nas férias, antes era 50%, fim da licença especial e a implantação da meritocracia, que é um sistema que considera o mérito dos envolvidos para que possam alcançar posições de maior destaque. A reunião contou com a presença da secretária de educação, professora Zélia Bonfim.  

Imagens: Divulgação

De acordo com o presidente da FETEMS a política que o prefeito de Bataguassu, Pedro Arlei Caravina (PSDB), está querendo implantar é velha conhecida do movimento sindical brasileiro e a entidade está pronta para apoiar o sindicato do município contra essas ações. 

“Quando avançamos na valorização não podemos permitir que um administrador entre e retroceda nas conquistas. Os servidores, de todas as categorias de Bataguassu, não apenas da educação, não merecem isso e nós do movimento sindical conhecemos bem as políticas de desvalorização de partidos como o PSDB, principalmente a meritocracia, que nós abominamos”, disse.

Segundo o presidente do Simted de Bataguassu, Paulo Antonio dos Santos, a presença do presidente da Federação no debate foi de suma importância para fortalecer a batalha contra essa reforma. “O companheiro Roberto nos deu o respaldo necessário para continuarmos na luta contra a desvalorização profissional dos servidores de Bataguassu”, disse.

Na reunião a comissão definiu que irá à próxima sessão da Câmara Municipal, solicitar aos vereadores que não votem a favor do projeto que altera a Lei Complementar 691 / 91 proposta pela prefeitura municipal, sem antes realizar uma audiência pública com os servidores do município.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.