Buscar

Fora de situação de risco, Nova Andradina ultrapassa meta de vacinação contra a gripe

Município, que tem apenas 2 casos da influenza, já atingiu a meta de vacinação preconizada pelo Ministério da Saúde

Respirando aliviada, Nova Andradina está fora de uma situação de risco em relação à confirmação de casos de gripe influenza. Do total de notificações, apenas 2 constataram a doença e 27 casos suspeitos registrados entre abril e maio foram descartados.

Segundo as informações a que o Nova News teve acesso, o município já atingiu a meta de vacinação preconizada pelo Ministério da Saúde estipulada em 90%. De acordo com a coordenadora municipal da Vigilância Epidemiológica, a enfermeira Tatiana Maria Rovani Pacito, chegou a 94% a cobertura vacinal em Nova Andradina ainda no final do mês de maio.

Restando apenas cerca de 300 doses disponíveis, a campanha foi prorrogada por mais uma semana e segue até a próxima sexta-feira (22). A coordenadora informa que neste ano não deverá haver a liberação para a população em virtude de estar esgotando a última remessa de doses.

Entre os grupos prioritários, Tatiana expôs que apenas a faixa de crianças de 2 a 5 anos não atingiu a meta que ainda está em 70%. “Se tudo correr dentro do esperado, acreditamos que podemos também atingir a meta desse importante grupo”, enfatiza a enfermeira. Ao todo, segundo ela, 11.500 pessoas fazem parte do público-alvo no município e vacinação continua no CEM (Centro de Especialidades Médicas) e em todas das ESFs.

Cb image default
Cobertura vacinal em Nova Andradina chegou a 94% ainda no final do mês de maio – Foto: Divulgação

Mesmo com baixa incidência, a coordenadora alerta a população que ainda se imunizou para procurar as salas de vacina do município e adotar os cuidados básicos que implicam na infestação da doença. “Evitar locais aglomerados e se atentar a questões de higiene são fundamentais para não contrair nenhum vírus da influenza”.

Outra recomendação de Tatiana é procurar um hospital o mais rápido possível ao apresentar os sintomas recorrentes da doença. “Tratam-se de sintomas semelhantes aos de uma gripe comum, como, por exemplo, febre, tosse ou dor de garganta, desconforto respiratório e apneia. No caso da gripe influenza, a febre é mais severa e o quadro respiratório fica mais comprometido”, orienta a profissional de saúde.

Detalhando o teor dos casos notificados, Tatiana explicou que o pai e a filha de apenas 8 meses de idade, residentes em Nova Andradina e diagnosticados com influenza, contraíram o vírus H3N2. Quanto às notificações de casos suspeitos, ela expôs que foi detectada uma síndrome respiratória que acomete o paciente por meio de outros agentes. “Nos casos confirmados, os pacientes estavam clinicamente estáveis e os sintomas não se agravaram, sem a necessidade inclusive de internação. O pai inclusive teria contraído a doença em Ivinhema”.

Ao fim da entrevista, a coordenadora fez questão de destacar o alto desempenho obtido durante a campanha de vacinação no município. “Tal resultado não seria possível devido à ampla divulgação da campanha por toda a rede de saúde. Além do corpo a corpo diário dos vacinadores que se dedicaram para atingirmos a meta, as equipes de saúde da família tiveram um papel importantíssimo na busca de faltosos para comparecem às salas de vacina. Outro ponto ainda a ser destacado foi a divulgação em escolas e creches que contribuíram para a maior cobertura vacinal em nossa cidade”, agradece a coordenadora.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.