Buscar

Infestação de caramujos volta a preocupar moradores em Nova Andradina

Excesso de umidade causado pelas chuvas desta época do ano, somado ao calor típico do verão, favorece a proliferação dos caramujos africanos

Luciene Carvalho - Redação Nova News

Basta chover que a mesma história se repete. A infestação de caramujos voltou a preocupar em Nova Andradina neste verão. Preferindo o anonimato, uma dona de casa, que procurou a reportagem do Nova News para falar sobre o assunto, relatou que recolheu, apenas nesta terça-feira (14), dois recipientes de três litros e meio, cada, quase cheios, ou seja, cerca de sete quilos do molusco.

A caça aos caramujos pela dona de casa é sempre à noite. De hábitos noturnos, ela conta que os moluscos aproveitam o escurecer para sair do seu habitat e se alimentar. “Durante o dia é difícil vê-los, costumam ficar escondidos embaixo de amontoados de folhas ou mesmo de terra. Recolho os caramujos para exterminá-los e em espécie alguma procuro ter contato com eles”, expôs a entrevistada.

Dona de casa recolheu dois recipientes quase cheios que totalizou sete quilos do molusco (Imagem: Luciene Carvalho/Nova News)

Como se sabe, o molusco se alimenta de praticamente todas as espécies de plantas e pode ser visto em locais como árvores e até muros. Por isso, é importante a atenção dos moradores quanto à forma correta de eliminação. Fazer a coleta manual e utilizar luvas para proteger as mãos de uma possível contaminação são alguns dos cuidados que devem ser tomados pela população. Depois, os animais devem ser jogados em sacos plásticos e esmagados, para então serem recolhidos como lixo doméstico.

Infestação de caramujos tem causado transtornos durante este período de chuvas (Imagem: Luciene Carvalho/Nova News)

A principal recomendação é quebrar a parte mais dura do caramujo para evitar que ela acumule água. Agora com relação ao sal, que é muito usado para eliminar esses animais, ele apenas desidrata o caramujo, mas os ovos acabam ficando, ou seja, as pessoas pensam que estão eliminando o molusco, mas isso só ocorre de forma temporária, até que novos exemplares nasçam. 

Outra estratégia preventiva é manter os quintais sempre limpos, livre de entulhos e de outros resíduos que possam servir de abrigo para a praga. Sobre o caramujo africano, a espécie foi trazida para o Brasil há cerca de 30 anos com finalidade comercial, para ser utilizado na culinária em substituição ao escargot. A iniciativa não deu certo e a criação foi abandonada.

Secretaria de Saúde não atende solicitações

Com relação ao trabalho desenvolvido em Nova Andradina sobre a infestação de caramujos, a reportagem do Nova News preferiu não procurar a Secretaria Municipal de Saúde, porque em situações anteriores não obteve resposta às informações solicitadas. No último dia 04 de janeiro, por exemplo, a redação requereu informações por um meio de um ofício, conforme orientação da Vigilância Epidemiológica, sobre assuntos de interesse público, como casos de dengue, zika e chikungunya, e até a manhã desta quarta-feira, dia 15 de fevereiro, o site não recebeu os dados . 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.