Buscar

Mãe de criança com doença rara flagra carro estacionado em vaga especial

Drama do garoto Luiz Cláudio, que sofre de distrofia muscular, foi retratado pelo Nova News em matéria publicada no mês de maio deste ano

Neste final de semana, uma mulher residente em Nova Andradina, mãe de um garoto vítima de doença rara, flagrou um carro comum estacionado em vaga especial nas proximidades do Banco Bradesco, região central da cidade. Um veículo VW, aparentemente sem nenhuma identificação que indicasse ser ocupado por pessoa com qualquer tipo de deficiência, estava na vaga reservada a deficientes físicos, provocando transtorno à mulher, cujo filho, de apenas dois anos e 11 meses, possui distrofia muscular.

Através das redes sociais, a moradora se disse indignada com o fato. Ela afirmou estar revoltada, alegando ter providenciado o cartão que autoriza utilização de vagas especiais para facilitar o desembarque do garoto, que utiliza cadeira e outros equipamentos. A mulher disse ainda que a pessoa responsável pelo veículo certamente não possuía o cartão e solicitou mais fiscalização por parte das autoridades competentes a fim de que fatos semelhantes não voltem a ocorrer.

Imagem: Reprodução/Facebook

O drama do garotinho Luiz Cláudio foi tema de matéria publicada pelo Nova News no mês de maio deste ano. Filho de Cláudio Aniceto, 44 anos, e de Sandra Campos, de 31 anos, a criança nasceu com “Distrofia Muscular Merosina Negativa”, uma doença degenerativa progressiva que afeta a força muscular e a funcionalidade do corpo. Segundo a medicina, a enfermidade é incurável e o tratamento existente é apenas de caráter paliativo, com objetivo de proporcionar um mínimo de conforto e prolongar ao máximo a vida do paciente.

Relembre o caso
  • Pacientes com doenças raras criticam falta de estrutura oferecida pela cidade de Nova Andradina

Na época, segundo a mãe do garoto, a falta de estrutura clínica na cidade, e até no Estado, tem dificultado a vida do filho, que necessita de viajar constantemente para o Hospital das Clínicas de São Paulo (SP). 

 

A principal reivindicação dela é que o município adquira um equipamento denominado “ventilador mecânico portátil”, uma vez que, segundo alerta médico, pacientes com distrofia muscular não podem ser apenas oxigenados, mas necessitam desta ventilação especial durante os transportes emergenciais.

Imagem: Acácio Gomes/Arquivo/Nova News

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.