Buscar

Moradores de Batayporã lotam Câmara Municipal para cobrar prefeito

Com cartazes, membros da população exigiam mais eficácia do Poder Executivo na prestação de serviços à comunidade

A rotina da Câmara Municipal de Batayporã foi quebrada durante a noite desta segunda-feira (26), quando um grupo de moradores lotou o plenário para fazer cobranças à atual Administração Municipal. Munidos de cartazes com dizeres que cobravam alguns serviços básicos, os manifestantes tentaram chamar atenção dos vereadores, principalmente dos que fazem parte da base aliada do prefeito Jorge Luiz Takahashi (MDB).

Alguns cartazes continham frases como “socorro, saúde e hospital”, “justiça e igualdade”, “luto por Batayporã”, “a minha cidade não vai morrer” e “mudança já”. Uma das frases “socorro, ônibus na estrada” fazia referência à suposta má conservação dos veículos que fazem o transporte escolar.

Cb image default
Membros da população pretendem fazer abaixo assinado para cobrar providências sobre a Administração Municipal - Imagem: Nova News

Nos últimos meses, o município de Batayporã , segundo o Executivo local, atravessa por período de crise, fato este contestado por moradores e alguns vereadores. A cidade vive um drama na área de saúde, com único hospital que atende a população fechado há mais de um ano.

Outro drama é vivido por parte dos servidores municipais que constantemente recebem seus salários em atraso. O impasse salarial inclusive mobilizou entidades como o Sindicato dos Servidores Municipais (SINSEMB), Ministério Público Estadual (MPE) e Poder Judiciário.

No dia 29 de janeiro, atendendo a mandado de segurança coletivo com pedido liminar interposto pelo SINSEMB em desfavor do município, o Ministério Público Estadual (MPE) solicitou, ao Poder Judiciário, que efetuasse o bloqueio de 60% das transferências constitucionais ao município.

No dia 09 de fevereiro foi homologado acordo judicial, no qual a Prefeitura Municipal se comprometeu a efetuar a regularização da situação salarial dos seus servidores sob pena de sofrer sanções judiciais.

De volta ao episódio registrado na Câmara Municipal nesta segunda-feira (27), os moradores reclama de outros serviços básicos, como o transporte de alunos e de pacientes, que estaria sendo comprometido em virtude da falta de combustível e de manutenção dos veículos.

O Nova News apurou que os manifestantes estariam organizando um abaixo assinado para ser protocolado no Poder Legislativo local pedindo providências a respeito da forma como o município de Batayporã vem sendo conduzido.

A reportagem tentou entrar em contato com o prefeito Jorge Takahashi, mas sua secretária de governo explicou que ele estava de saída para uma viagem a fim de cumprir agenda junto à Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul) e não poderia atender o Nova News naquele momento.  

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.