Buscar

Nova Andradina avalia os estragos da chuva e se mobiliza para recuperação dos danos

Governo Municipal prossegue com atendimento às famílias enquanto força tarefa atua em ações para minimizar ocorrências

Imagem: Natalho Cuer/PMNA

O índice pluviométrico dos últimos quatros dias registrou mais de 250 milímetros de chuva em Nova Andradina. A força das águas ocasionou diversos danos, principalmente na área urbana. Nesta segunda-feira (16), o prefeito Roberto Hashioka vistoriou pontos críticos para avaliar os estragos. O gestor também mobilizou as secretarias municipais para uma força tarefa em todo o município. 

"Houve vários estragos por conta do índice pluviométrico dos últimos quatro dias. Uma anormalidade. Isso nos impactou fortemente, a exemplo do que ocorreu no contorno rodoviário, em que a galeria celular tripla não suportou o volume das águas, assim como na região da Rua Antônio Duarte, na saída da Avenida Eurico Soares, Rua Imaculada Conceição e em bairros como o Horto Florestal e o Guiomar Soares", citou. 

O gestor também comentou sobre erosões verificadas em outras localidades, como às margens da MS-134, na saída para Nova Casa Verde. "Tudo em decorrência de uma chuva concentrada em poucos dias. O solo já está saturado, ou seja, não consegue mais receber a infiltração da água, causando estragos. Agora é trabalhar e estabelecer um cronograma", frisou o prefeito. 

Imagem: Natalho Cuer/PMNA

A vistoria também contou com a presença dos secretários municipais Umberto Canesque Filho (Serviços Públicos) e Márcio Costa (Meio Ambiente e Desenvolvimento Integrado). "Vamos agir de imediato em projetos que já possam ser implantados para minimizar esses problemas e também para dar uma solução definitiva", reiterou Hashioka. 

No tocante às famílias atingidas, o prefeito ratificou a determinação do Governo Municipal em assistir todos munícipes que se encontram em situação de vulnerabilidade. Populares que residem no trecho à margem do processo erosivo em frente à Rua Antônio Duarte, por exemplo, serão deslocados até que o problema seja solucionado. 

"Todas as famílias, principalmente as que residem na Rua Antônio Duarte, estão sendo assistidas. Nós colocamos a Semcias para dar todo o apoio, inclusive para alugar locais para que elas possam fazer a sua mudança enquanto o problema não é solucionado, mas outras ruas também estão com um processo erosivo muito forte, dificultando a saída dos veículos e o trânsito", explicou.

Saiba mais
  • Chuva volta a provocar prejuízos em Nova Andradina e Batayporã
  • Após fortes chuvas, Prefeitura de Nova Andradina prossegue com assistência às famílias
  • Prefeitura interdita trecho do contorno rodoviário e intensifica atendimento
  • Área rural de Batayporã também sofre com alagamentos
  • Batayporã define ações para amenizar transtornos às famílias atingidas pela enchente

A possibilidade de decretar Estado de Emergência não é descartada. "É praticamente uma tromba dagua de ação continuada. Vamos entrar em contato com a Defesa Civil e, se for o caso, decretaremos Estado de Emergência como forma de facilitar a contratação de serviços, visto que a Prefeitura não vai ter condições de fazer tudo ao mesmo tempo. Vou buscar a parceria do Governo do Estado também", disse o gestor.

O prefeito de Nova Andradina foi incisivo ao destacar que "o Governo Municipal irá dar uma solução". "Moro aqui há 34 anos e nunca vi chuvas tão fortes como essa. Enquanto engenheiro rodoviário do Dersul, no passado, por diversas vezes enfrentamos dificuldades nas rodovias dando apoio aos municípios, mas chuvas com essa intensidade, em um pequeno espaço de tempo, é a primeira vez que vejo", concluiu.

Imagem: Natalho Cuer/PMNA

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.