Buscar

Nova Andradina - Dezesseis anos depois, novela do anel viário chega ao fim

Obra, que é uma das mais emblemáticas de Nova Andradina, foi entregue nesta terça-feira (26)

Uma das obras mais emblemáticas de Nova Andradina enfim foi concluída. Dezesseis anos após muita luta e contratempos, o tão sonhado anel viário poderá ser usufruído em sua totalidade pela população e para quem precisa trafegar pelo município que é uma das principais rotas do Estado.

No início da tarde desta terça-feira (26), o prefeito José Gilberto Garcia, acompanhado de autoridades locais, entregou a alça que liga a MS-134 a MS-276 que estava interditada desde fevereiro de 2015, quando uma forte chuva destruiu o trecho. Aguardado para a cerimônia, o governador do Estado, Reinaldo Azambuja, não pôde estar presente para o ato inaugural ao ser um dos grandes responsáveis pela conclusão da obra.

Considerado um sonho antigo dos nova-andradinenses, o anel viário dá fim a um problema iminente que se arrasta há anos no município. Caminhões e veículos de grande porte em geral precisavam passar por dentro da área urbana, mais precisamente pela Avenida Ivinhema, e deixava a população receosa para o potencial risco de acidentes.

Mesmo com atraso na data prevista de entrega que seria em março anunciada pelo Executivo Municipal, a população comemora a conquista e os condutores de caminhões e carretas devem ficar atentos às novas condições de tráfego em Nova Andradina.

A orientação para quem deslocar de Ivinhema a Nova Andradina é adentrar à direita na rotatória da Coopergrãos sentido a Taquarussu, e na próxima rotatória adentrar à esquerda sentido a Batayporã e Casa Verde. Da mesma forma, os veículos que trafegam de Casa Verde para Ivinhema, sentido Dourados, deverão utilizar a alça ou o minianel e não mais as ruas da cidade de Nova Andradina.

Cb image default
População comemora a conquista e os condutores de caminhões e carretas devem ficar atentos às novas condições de tráfego - Foto: Márcio Rogério/Nova News

A novela que chegou ao fim

Assunto de destaque em uma matéria especial produzida pelo Nova News em março de 2017, a reportagem detalhou como a obra começou e o seu desenrolar até que fosse finalizada após mais de uma década e meia desde que foi iniciada.

O projeto teve início ainda na primeira gestão de Hashioka, que buscou apoio do Governo Federal para a sua concretização, uma vez que se tratava de uma obra dispendiosa e que envolvia uma rodovia à época de responsabilidade da União. O projeto com extensão de 10,0 quilômetros foi orçado na ocasião em mais de R$ 6 milhões, isso a preços iniciais.

O Nova News apurou que o projeto da obra foi elaborado entre 2001 e 2002, sendo que a licitação ocorreu em 2003. Após algum tempo, com apoio de figuras políticas o ex-deputado João Grandão e o ex-senador Delcídio do Amaral, que acompanharam a tramitação do processo junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DENIT), houve a conclusão parcial da primeira alça, que possui extensão de cinco quilômetros, inaugurada na segunda gestão de Hashioka, em 2008, restando a conclusão da segunda alça.

Cb image default
Grupo de manifestantes preparou um bolo de aniversário pelos 10 anos da não conclusão da obra - Foto: Arquivo/Nova News

Em 2012, um grupo de manifestantes se reuniu em uma das alças do anel viário, onde foi levado um bolo de aniversário pelos 10 anos da não conclusão da obra e refrigerantes. Na ocasião se fizeram presentes figuras políticas como Vicente Lichoti, Edilson do Gás e Milton Sena. Após as falas dos convidados, eles acenderam as velas do bolo a cantaram parabéns. Os manifestantes reclamavam da demora para a conclusão dos serviços e do valor investido que, segundo eles, naquela ocasião, já passava de R$ 8 milhões.

Logo que assumiu o seu mandato em 2017, o prefeito de Nova Andradina elencou como meta principal, no tocante à infraestrutura do município, a conclusão do contorno rodoviário que liga a saída para Batayporã pela rotatória da MS 134 até a MS 473, tanto no sentido para Ivinhema, tanto para Taquarussu.

A pavimentação do segundo trecho do projeto é uma realização do Governo do Estado de MS, através da Agência Estadual de Empreendimentos (AGESUL). O projeto da pavimentação asfáltica compreende uma extensão de 3,212 quilômetros. A obra, que está orçada em R$ 4,9 milhões, receberá uma rotatória no entroncamento com a MS-473. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.