Buscar

Nova Andradina - Por meio de postagem, mãe pede ajuda para que filha faça exame avaliado em R$ 8 mil

Município diz que tenta comprar o procedimento que não é oferecido pelo SUS

Imagem: Redes Sociais

Cb image default

Nas últimas horas, por meio das redes sociais, Rosilva Soares Gonçalves, de 38 anos, começou a pedir ajuda para que sua filha, a adolescente Eduarda Priscila Gonçalves de Melo, de 16 anos, consiga fazer um exame e uma cirurgia avaliados em R$ 8.300,00, procedimento que, conforme apurado pelo Nova News, são seria ofertado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A adolescente está internada no Hospital Regional de Nova Andradina, onde teria sido diagnosticada com um quadro de pedra na vesícula. Segundo a família, como o caso de Eduarda é atípico, ela precisa passar pelo procedimento denominado Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica (CPRE).

Trata-se de um exame endoscópico que tem por objetivo detectar e tratar doenças que acometem os ductos de drenagem do fígado e do pâncreas, as vias biliares intra e extra-hepáticas, e o canal pancreático principal. O Nova News apurou junto a uma clínica de Dourados que, de fato, dependendo do caso, o valor do procedimento pode girar em torno de R$ 10 mil.

Sem condições financeiras de arcar com o procedimento, que poderia ser feito de forma particular em Dourados ou Campo Grande, a mãe da adolescente apela por todos os meios possíveis a fim de conseguir a realização do procedimento.

Desempregada, Rosilva explica que o pai de Eduarda já é falecido e que a família sobrevive apenas com dinheiro de programas sociais. A moradora do Bairro Santo Antônio recorreu à Secretaria de Saúde, à Defensoria Pública e até pede dinheiro pelas redes sociais, tudo na tentativa de que a filha consiga ser tratada.

“Ela sente muita dor, não se alimenta direito e está internada desde segunda-feira (26). Não vejo a hora de alguém me dar uma luz para que o sofrimento da minha filha tenha fim”, explica.

Também por meio das redes sociais, o prefeito de Nova Andradina, Gilberto Garcia, afirma que acompanha o caso. “Nosso secretário de Saúde, Arion Aislan, está empenhado na resolução do problema e abriu um processo de compra do exame pela prefeitura, que aguarda parecer jurídico”, afirma.

“Não vamos esperar pela sorte, pois a saúde de Eduarda merece atenção imediata”, diz Gilberto Garcia na postagem.

Por volta das 16h30 desta quarta-feira (28), a mãe de Eduarda afirmou ao Nova News que até aquele momento não havia obtido nenhuma resposta com relação à possibilidade de realização do procedimento da filha. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.