Buscar

Nova Andradina tem primeiro caso de febre chikungunya registrado no ano

Luciene Carvalho - Redação Nova News

Único caso notificado teve confirmação (Imagem: Divulgação)

Nova Andradina é um dos 17 municípios de Mato Grosso do Sul que já fazem parte das estatísticas de casos de febre chikungunya neste ano. Dados do último boletim epidemiológico da SES (Secretaria Estadual de Saúde) apontam que o município teve o primeiro caso registrado.

Com apenas um caso, Nova Andradina não está na zona de risco junto com mais outros oitos municípios que tem apenas um caso registrado. Camapuã, cidade localizada a 145 Km da Capital, tem 14 notificados. Em segundo lugar, também com elevado número, aparece Dourados com 11 casos. Ao todo, MS tem 61 notificações, com 7 confirmados, incluindo Nova Andradina.

Segundo informações da SES, as pessoas que apresentam suspeita de febre chikungunya passam a ter febre de início súbito maior que 38,5°C e dor intensa nas articulações de início agudo, acompanhada ou não de edemas (inchaço), não explicado por outras condições, sendo residente ou tendo visitado áreas onde estejam ocorrendo casos suspeitos até duas semanas antes do início dos sintomas ou que tenha vínculo com algum caso confirmado.

RECOMENDAÇÕES

· Manter repouso;

· Tomar muito líquido: água, suco de frutas, soro caseiro, chás, água de coco e

sopas;

· Manter amamentação;

· Procurar uma unidade de saúde;

· Evitar a exposição a mosquitos.

ATENÇÃO

· Em alguns casos, as dores articulares permanecem por meses e até anos.

· Geralmente ocorrem casos próximos.

· Pode acontecer infecção pela chikungunya e dengue ao mesmo tempo.

· O mesmo mosquito pode carregar os dois vírus (DENGUE E CHIKV).

CONDIÇÕES DE RISCO

· Gestantes;

· Menores de 2 anos;

· Maiores de 65;

· Pessoas com comorbidade.

Como prevenir?

· Descarte todos os objetos não utilizados que estiverem expostos às chuvas e

podem acumular água: pneus, latas, garrafas, baldes, etc.

· Tampe os tonéis e depósitos de água e troque diariamente a água dos bebedouros

dos animais.

· Coloque terra ou areia nos vasinhos de plantas, ou lugares que acumulem água.

 · Coloque o lixo em sacos plásticos, e mantenha a lixeira completamente

tampada.

· Tampe bem os recipientes que utiliza para acondicionar água: garrafões, jarras,

taques, etc.

· Troque a água das plantas a cada três dias.

· Evite deslocamento para áreas onde há transmissão instalada do vírus.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.