Buscar

Operação Corpus Christi, da PMA, irá contar com 280 policiais 

Recente polêmica sobre a possível transferência da PMA de Batayporã para Nova Andradina gerou mal estar entre políticos das duas cidades

A Polícia Militar Ambiental (PMA), coloca, a partir desta quarta-feira (18), cerca de 280 homens a campo em operação preventiva e combate aos crimes ambientais no Estado. A ção  durará até 08h de segunda-feira, (23). A “Operação Corpus Christi” objetiva colocar o efetivo nos rios, em barreiras nas estradas, fiscalização em propriedades rurais, em locais de belezas naturais de prática de turismo cênico e de recreio e outras variáveis de interesse ambiental, para prevenir e combater infrações e crimes que possam degradar estes recursos naturais.

A sede, em Campo Grande, contará com três equipes itinerantes agindo em todo território do Estado. A PMA espera um grande fluxo de turistas locais e de outros Estados. Portanto, a fiscalização será intensificada nos rios para evitar a pesca predatória, porém, o combate ao desmatamento, caça, às carvoarias ilegais e ao transporte de carvão e de outros produtos florestais, bem como demais crimes contra a flora será intensificada.

Cerca de 280 homens da Polícia Militar Ambientam vão deflagrar a Operação "Corpus Christi" (Foto: Divulgação)

Outros tipos de crimes serão coibidos nas barreiras da PMA, como ocorre nos trabalhos rotineiros, quando são apreendidas diversas mercadorias contrabandeadas, drogas e ainda grande quantidade de armas de fogo. Na "Operação Cospus Crhisti" do ano passado foram 18 pessoas autuadas, que receberam quase R$ 44.640,00 em multas.

O caso de captura de pescado em tamanho inferior ao permitido, com petrechos proibidos, em local proibido e em quantidade superior à permitida constitui crime e infração administrativa. A pessoa pode ser presa em flagrante, ter todo material apreendido, se condenada ao final do processo, pegar pena de um a três anos de detenção e ainda receber multa de R$ 700 a R$ 100 mil.

Operação tem como objetivo prevenir e combater infrações e crimes contra o meio ambiente (Foto: Divulgação)

A PMA alerta aos pescadores que tirem sua licença ambiental de pesca do Estado de Mato Grosso do Sul, com opção de preço a partir de R$ 9,30 para a pesca mensal desembarcada. A falta deste documento constitui infração administrativa, cabendo multa e ainda apreensão dos produtos, petrechos de pesca, barcos e motores. A licença pode ser retirada no site www.imasul.com.br.

Os pescadores podem ter acesso aos manuais de pesca 2014, com todas informações sobre a legislação, nos postos da PMA e com equipes de fiscalização da PMA em todo Estado, ou no site www.pma.ms.gov.br.

PMA: Batayporã X Nova Andradina

O Grupamento da Polícia Militar Ambiental de Batayporã, responsável pelo por coibir e reprimir os crimes ambientais em toda a região, recentemente foi tema de polêmica. Durante sessão ordinária realizada na Câmara Municipal de Nova Andradina, os vereadores Mário Ferreira de Oliveira (Marião da Saúde) e Newton Luiz de Oliveira (Nenão) solicitaram a transferência da unidade para a cidade de Nova Andradina.

 

A sugestão dos legisladores consiste em instalar o GPMA na matinha, como é conhecido o Parque Ambiental de Nova Andradina, com o objetivo de proteger a área. “Já temos aqui o 8º Batalhão da Polícia Militar e o 3º Subgrupamento do Corpo de Bombeiros. A instalação da PMA poderia proteger a fauna e flora, além de revitalizar o parque e inibir a ação de bandidos que rondam aquela área”, assegura Marião da Saúde.

Vereadores solicitaram a transferência da sede da PMA de Batayporã para Nova Andradina (Foto: Divulgação)

Autor de diversas proposituras em defesa do meio ambiente, Nenão recordou que vem tentando uma solução para resolver os problemas de segurança, falta de limpeza e abandono da matinha desde o ano passado. Porém, até agora não obteve sucesso em sua empreitada. Segundo texto divulgado pela Câmara de Nova Andradina, a indicação a respeito da transferência foi aprovada.

O documento foi encaminhado para secretarias de governo, órgãos de comando da Policia Militar e políticos. “É uma luta em defesa da preservação ambiental, da saúde, urbanismo, lazer e segurança pública. Vamos aguardar o posicionamento das autoridades competentes”, declara Nenão.

Saiba mais
  • Na tentativa de proteger a matinha, vereadores pedem transferência da PM Ambiental de Batayporã para Nova Andradina
  • Câmara de Batayporã rebate pedido de transferência da PMA para Nova Andradina 

Por outro lado

A possibilidade de transferência da PMA para Nova Andradina gerou desconforto na classe política de Batayporã, que vê a indicação dos vereadores da cidade vizinha como uma falta de respeito. Em sessão ordinária da Câmara Municipal de Batayporã, foi encaminhado requerimento a várias personalidades políticas, solicitando a permanência da sede do GPMA, no município de Batayporã. 

 

No documento, os vereadores também retrataram a indignação, diante do pedido feito pelos vereadores Nenão e Marião da Saúde, de Nova Andradina, solicitando a transferência da PMA, para aquela cidade. Membros da comunidade Batayporaense afirmam que o desejo dos vereadores de Nova Andradina em remover a PMA de Batayporã seria um desrespeito à população. Eles afirmam que o município está localizado de forma estratégica na divisa com outros estados, conta com grandes áreas verdes e tem em seu território o Rio Paraná, muito visado por percadores que praticam a atividade de forma ilegal.

 

Segundo o prefeito de Batayporã, Beto Sãovesso (PSDB), durante evento do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), realizado em Dourados, no mês de maio, o secretário de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, afirmou que não haverá mudanças e que a sede da PMA permanecerá na cidade de Batayporã.  

Em recente passeio ecológico realizado no Rio Bahia, em Batayporã, o superintendente da Pesca e Aquicultura do Estado de Mato Grosso do Sul, Cesar Moura, que na oportunidade, elogiou a atividade, anunciou a reforma na sede do Destacamento da Policia Militar Ambiental de Batayporã, e, também, a entrega de novas viaturas, que nas palavras dele, irá aperfeiçoar ainda mais os trabalhos do militares naquele município e em toda a sua área de atuação.

Vereadores de Batayporã repudiaram a solicitação dos legisladores de Nova Andradina (Foto: Agência 7ª Arte)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.