Publicado em 30/08/2015 às 05:44, Atualizado em 26/04/2017 às 13:50

Pacientes  comemoram  atendimentos realizados pela Caravana da Saúde em Nova Andradina

Notícias MS, Imagens: Jessica Barbosa

Os pacientes atendidos pelos procedimentos cirúrgicos oftalmológicos da Caravana da Saúde passaram pela avaliação médica neste sábado (29), no município de Nova Andradina. Moradores dos municípios de Angélica, Anaurilândia, Batayporã, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul e Taquarussu, fizeram a avaliação pós-cirurgica na Câmara dos Vereadores e destacaram a ansiedade em poder voltar a enxergar graças aos procedimentos da Caravana da Saúde.

Mais de 200 pessoas compareceram a avaliação médica que libera os pacientes para a realização da cirurgia do segundo olho, quando necessária. Moradora em Nova Andradina, a costureira Norata de Almeida Ferreira, 69 anos, destacou as dificuldades enfrentadas devido aos sintomas da catarata e a espera na fila para se conseguir uma cirurgia oftalmológica pelo SUS.

“Eu já não conseguia ler e muito menos costurar. Em 2010 eu fiz a primeira cirurgia em São Paulo, numa viagem ocasional. Não pude fazer a segunda cirurgia por causa dos custos e acabei deixando de lado. Durante todo esse tempo fiz os exames mas não tive a cirurgia marcada. A Caravana praticamente foi um anjo da guarda para mim, pois o agente de saúde entrou em contato comigo e fez o cadastro no programa. Foi tudo muito rápido e consegui fazer a cirurgia do segundo olho. É uma benção para a população que precisa de um atendimento deste tipo e não tem condições de pagá-lo. Estão todos de parabéns”, disse Norata.

Também moradores em Nova Andradina, o casal de aposentados, Eurides Santos Silva, 74 anos e Valdelino Rodrigues, 63 anos, comemoraram a realização de suas cirurgias e falaram sobre as dificuldades para se conseguir uma cirurgia através do sistema público de saúde. “Eu fiquei cerca de 3 anos esperando uma solução. O meu diagnostico foi de glaucoma, então fiz os exames, deixei o meu nome na secretaria de saúde para conseguir a cirurgia, mas não houve resposta. Essa espera é a principal angustia” disse Eurides. 

 

“Eu fiquei esperando mais tempo, cerca de 4 anos. Tanto eu como a Eurides ficávamos atrás de uma solução, mas sem resposta. Deixei de usar meus óculos por que já não funcionaria mais segundo o médico. Quando soubemos da Caravana, o alívio foi imediato. É a primeira vez que vemos algo dessa estrutura voltada para a saúde da população”, destacou Valdelino.

Já no Hospital Regional de Nova Andradina, estão programadas mais de 200 cirurgias de média complexidade, com especialidades em cirurgia geral e ginecologia. Desde o dia 17, as cirurgias estão sendo realizadas no hospital pela Caravana da Saúde. Prestes a receber alta, a servidora Kelly dos Santos Omito, 32 anos, aguardava desde o inicio do ano a definição de datas para uma cirurgia de vesícula. A demora acabou afetando a sua rotina de trabalho e até mesmo os estudos.

“No ano passado a minha vida foi praticamente fazendo exames para a cirurgia, mas não se chegava a nenhuma data. Enquanto isso eu tinha fortes crises de dor, não conseguia trabalhar e nem estudar. Cheguei a tentar o atendimento por Dourados e Campo Grande, mas não foi possível. Quando a Caravana me chamou foi um alívio. É uma grande diferença na minha vida ter conseguido este tratamento e retomar ao normal a minha rotina”, disse Kelly.

Saiba mais
  • Dia D da Caravana da Saúde acontece neste domingo em Nova Andradina
  • Caravana da Saúde traz esperança aos pacientes da região de Nova Andradina

Neste domingo (30), a Caravana da Saúde realizou o seu Dia D de mobilização no estádio Luiz soares Andrade, com a participação das instituições parceiras como Hemosul, Procon, Tribunal de Justiça, SESI, Ministério Público, Polícia Civil,Corpo de Bombeiros entre outros. 

 

Também foram realizados exames e consultas de diversas especialidades, como cardiologia, pediatria, ortopedia, neurologia e outros. O programa já soma mais de 4 mil cirurgias realizadas ao longo de suas quatro edições. A Caravana passará pelas 11 microrregiões de Mato Grosso do Sul, com o objetivo de reduzir o numero da fila de espera para os diversos procedimentos de saúde, além de levar a reestruturação dos serviços de saúde como estratégia de melhoria dos atendimentos à população de cada região visitada.