Buscar

Para comportar novos vereadores, parlamentares criam projeto que extingue cargos

Atualmente, cada vereador tem direito a dois assessores. Com nova lei, parlamentares passarão a contar com apenas um

Foto: Arquivo

Cb image default

Além da emenda à lei orgânica que aumenta duas cadeiras no Legislativo de Nova Andradina, os vereadores do município criaram um projeto que versa sobre a extinção do cargo de Chefe de Gabinete.

Por mais que não esteja expressa na justificativa, a medida é vista como uma estratégia para comportar os novos vereadores, já contando com a aprovação no segundo turno da votação, marcada para terça-feira (1). Ambas propostas serão votadas nesse dia.

Como os recursos da Câmara estão condicionados ao repasse de 7% do duodécimo, com dois vereadores a mais e seus respectivos assessores (dois pelas normas vigentes), a Casa de Leis deverá atingir o limite prudencial de comprometimento com a folha de pagamento, em 70%.

Atualmente, 13 trabalhadores exercem a função de chefe de gabinete, cada um com seu respectivo vereador. Com a extinção do cargo, cada parlamentar teria direito a apenas um, desonerando assim a folha de pagamento para comportar os futuros vereadores/assessores.

O projeto é de autoria dos vereadores Amarelinho (MDB), Airton Castro (PDT), Robertinho Pereira (MDB), Valmirá do Pax (PSDB), Sandro Hoici (DEM), Wilson Almeida (PT), Joana Darc (PR), João Dan (PSDB), Ricardo Lima (DEM) e Antonio Tomaz (PV).

Os únicos vereadores que não subscreveram a medida foram Marião da Saúde (PR), Quemuel de Alencar (PDT) e Deildo Piscineiro (PSDB), justamente os únicos que votaram contra o aumento no número de cadeiras no Legislativo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.