Buscar

Pesando menos no bolso, alimentos estão mais baratos na mesa dos nova-andradinenses

Custando quase cinco vezes mais em 2016, preço do feijão é cotado hoje a apenas R$ 2,99

Os alimentos básicos presentes na mesa do consumidor nova-andradinense estão mais baratos do que ano passado. Quem precisa ir ao supermercado para fazer suas compras sente o impacto menor bolso em muitos preços que chegaram às alturas e atingiram em cheio o orçamento.

Segundo levantamento realizado pelo Nova News, o destaque na redução de preços fica para o feijão que hoje se mantém estável no mercado. Após a alta de 2016 em que o quilo chegou a custar na média de R$ 13,90, hoje o produto pode ser encontrado a apenas R$ 2,99. No ano anterior, o preço custou em média R$ 6,98.

O arroz, indispensável no cardápio do brasileiro, também não apresenta oscilação nos preços. Pelo contrário, o pacote de cinco quilos caiu de cerca de R$ 12,90 a R$ 10,90. Com vários tipos e marcas, os preços variam entre R$ 8,90 e R$ 21,90.

Cb image default
Consumidores sentem redução nos preços ao ir às compras nos supermercados - Foto: Luciene Carvalho/Nova News

Outros itens pesquisados são o açúcar que desde 2016 apresenta queda. Neste ano, o quilo foi cotado a R$ 14,98, seguido de R$ 13,90 em 2017 e R$ 10,99 agora em 2018.

Já os preços da farinha de trigo e da farinha de mandioca mantêm a mesma margem do ano passado, sendo R$ 2,29 e R$ 4,99, respectivamente o quilo de cada produto. Quanto ao óleo de soja, o valor do litro de R$ 3,99 caiu para R$ 3,45 entre um ano e outro.

Em relação aos alimentos adicionais que também não ficam de fora do cardápio dos nova-andradinenses, as carnes estão custando menos em Nova Andradina. No caso da carne de segunda, por exemplo, de R$ 15,90 hoje o quilo é encontrado a R$ 12,90.

Cb image default
Quilo do feijão chega a ser encontrado a apenas R$ 2,99 em Nova Andradina - Foto: Luciene Carvalho/Nova News

Para quem aprecia a carne branca, o frango também hoje está mais barato. Dependendo da época do ano, o quilo chega a custar R$ 6,90 e atualmente está cotado a R$ 4,49 o quilo.

E, por fim, os hortifrutigranjeiros têm variações de preço a cada semana dependendo das condições e dos fatores climáticos como calor e forte chuva. O tomate, por exemplo, chegou a custar R$ 7,98 e nessa segunda-feira (12) foi encontrado a R$ 3,99.

Preço menores é sinônimo de mais vendas. Esta é a afirmação de um gerente de supermercado ouvido pelo Nova News após detalhar as reduções expressivas em vários produtos. “Se o preço é menor, o cliente consume mais. O negócio é aproveitar o momento já que o mercado oscila o tempo todo devido às suas sazonalidades”, aponta o entrevistado 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.