Buscar

População questiona a qualidade da água na cidade de Batayporã

Responsável pela Sanesul atribuiu problema ao rompimento da rede por máquinas que atuam na região

Imagem: Acácio Gomes/Nova News

Na tarde desta quarta-feira (19), alguns moradores residentes na Vila José Mustafá, em Batayporã, mantiveram contato com a Rádio Cidade FM para reclamar da qualidade da água que saía das torneiras de praticamente todas as residências localizadas naquela região. Segundo os moradores, deste às 10h, a água que chegava até os consumidores estava suja, o que poderia indicar a presença de barro no líquido, que só deve ser consumido se estiver totalmente incolor, sem cheiro e sem sabor.  

Imagens captadas na casa de uma das famílias afetadas realmente comprovou o fato. Na garrafa da direita, é possível observar água cristalina, captada antes da percepção do problema, já no recipiente posicionado à esquerda, pode-se observar água coletada após as 10h desta quarta-feira (19), já mais avermelhada, provavelmente com a presença de lama. “Algumas vizinhas minhas, que não têm caixa d’água chegaram a deixar de fazer almoço ao perceberem que a água não era de qualidade”, disse uma moradora.

Imagem: Acácio Gomes/Nova News

Na manhã desta quinta-feira (20), o escritório local da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul) foi procurado e o responsável atribuiu o problema às obras de drenagem realizadas pelo município na região da Vila Maria Gonçalves. Ele revelou que, somente na quarta-feira (19), as máquinas que realizam os trabalhos de escavação para colocação da rede de esgoto romperam por duas vezes os tubos que abastecem a vila com água potável.

O servidor da Sanesul explicou que a linha afetada abastece as Vilas Maria Gonçalves, Antônio Olímpio Pinheiro e José Mustafá, sendo que, esta última, por estar no final da rede, foi a mais afetada. “Realizamos a limpeza possível nos tubos de abastecimento, mas, infelizmente, a lama que já havia sido sugada pela rede não pode ser removida. A orientação é para que os moradores deixem as torneiras abertas por alguns minutos até que a água limpa chegue às residências”, disse o funcionário.

Ele ainda sugeriu que esta água turva pode ser coletada pelos clientes em baldes e bacias e utilizada para aguar plantas e lavar calçadas, por exemplo. “Sabemos que situações como estas causam transtornos à população, mas a Sanesul também se sente prejudicada, pois temos que providenciar reparos emergenciais cada vez que a rede é rompida pelas máquinas que atuam na instalação dos tubos de esgoto”, finalizou o responsável pela unidade. 

Imagem: Acácio Gomes/Nova News

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.