Buscar

Postos de combustíveis de Bataguassu afirmam que não vão reabastecer até o fim da greve

Empresa decidiu não reabastecer seus tanques em apoio ao protesto dos caminhoneiros

A falta de combustíveis nos postos de Bataguassu deve durar até o fim da greve dos caminhoneiros que entrou no seu 9º dia nesta terça-feira (29). A informação foi confirmada ontem (28) pelo gerente da rede que abastece o município, José Augusto.

No domingo (27), a informação repassada pela empresa era de uma possível negociação com uma distribuidora de Presidente Prudente (SP), que teria um dos seus caminhões - cerca de 30 mil litros - trazidos a Bataguassu por meio de escolta policial, no entanto, segundo o gerente, a empresa decidiu não reabastecer seus tanques em apoio ao protesto dos caminhoneiros.

Com a decisão, Bataguassu permanece sem etanol e gasolina por tempo indeterminado. No restante das cidades do Estado, o combustível já começou a chegar mesmo de forma controlada e sem conseguir suprir a demanda em seu total. Das 60 cidades que enfrentam desabastecimento de combustíveis, 15 já estão sendo reabastecidas. Em Nova Andradina um dos postos recebeu combustíveis na tarde desta segunda e clientes tiveram que enfrentar filas quilométricas.

Cb image default
Bataguassu permanece sem etanol e gasolina por tempo indeterminado - Foto: Cenário MS

Bataguassu não sofre apenas com a falta de combustíveis, os supermercados da cidade já estão com falta de alimentos perecíveis e distribuidoras sem gás de cozinha.

Já no setor público, a situação pode ficar ficará caótica, como revelou o prefeito de Bataguassu Pedro Caravina ao falar ao Jornal Correio do Estado sobre a situação da manutenção dos serviço do município.

De acordo com Caravina, todo o estoque, tanto de combustível quanto de alimento, é suficiente somente até quarta-feira (30). Na rede de saúde o transporte de pacientes para consultas e exames eletivos foi suspenso, com atendimento apenas para os casos de emergência.

O protesto dos caminhoneiros entra no 9º dia consecutivo hoje em todo o País. A categoria quer que a Petrobras reveja a política de preços, que atrela o valor dos combustíveis às altas e baixas do dólar. Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), são 6 pontos de bloqueios nas rodovias federais de Mato Grosso do Sul.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.