Buscar

Primeiro Condomínio Habitacional Vertical revitaliza Vila Operária, um dos bairros mais antigos de Nova Andradina

Em 8 prédios de 4 andares serão edificados 128 apartamentos. A previsão de entrega da obra é para agosto de 2020

Fotos: William Gomes

Cb image default

A diretora da Agehnova, Marcia Lobo, e o secretário de infraestrutura, Júlio Cesar Castro Marques, vistoriaram na manhã desta quinta-feira (31) às obras do 1º Condomínio Habitacional Vertical de Nova Andradina. No local, os gestores municipais foram recebidos pela engenheira civil, Gabriela Leite, que informou sobre o andamento das obras.

Em 8 prédios de 4 andares serão edificados 128 apartamentos. Trata-se do maior empreendimento público habitacional em fase de construção no município, uma obra que irá revitalizar e valorizar um dos bairros mais antigos, a Vila Operária.

Alguns serviços já foram concluídos como a instalação das redes de água e de esgoto, terraplanagem, fundações das 8 torres, centro comunitário e guarita, pavimentação asfáltica das áreas internas e estacionamento com vagas reservadas para deficientes e idosos. O primeiro pavimento (térreo) já está praticamente erguido. Esta semana, foi iniciada a execução da laje.

"Na primeira etapa, os serviços ficam em baixo do solo. A população não vê, mas a base estrutural dará a sustentação para os prédios. Empreendimentos dessa magnitude mudam o aspecto urbanístico e revitalizam o bairro em que estão inseridos. Certamente, os imóveis dessa região serão mais valorizados", afirma Gabriela Leite.

O secretário Júlio Cesar explicou que o projeto idealizado pela atual administração municipal é uma parceria com o Estado e a União. Devido a mudança no comando do governo federal houve atraso na liberação dos repasses e a obra foi paralisada por 4 meses até o pagamento dos serviços já executados. Assim, o cronograma foi atualizado e a previsão de entrega é para agosto de 2020.

"No mês de agosto passado, os serviços foram retomados e seguem sendo realizados pela empresa. É um projeto urbanístico social, que nasce numa região consolidada, com equipamentos de saúde, educação e comércio, mas que precisava de uma revitalização para valorizar ainda mais uma área tão tradicional da nossa cidade", avalia o secretário de infraestrutura.

No momento, 42 profissionais trabalham no canteiro de obras, sendo 24 contratados pela empresa Engepar (executora do empreendimento) e outros 18 colaboradores terceirizados.

A diretora da Agehnova, Marcia Lobo, ressaltou a importância deste empreendimento na redução do déficit habitacional, em especial, para as famílias que ganham até dois salários mínimos e não são contempladas pelos demais programas. "É vida digna para 128 famílias de baixa renda, que terão oportunidade de sair do aluguel e conquistar seu apartamento, fruto da determinação política do prefeito Gilberto Garcia".

A licitação para a contratação da empresa especializada em realizar o plano de trabalho social com os futuros mutuários está em andamento. A contratada irá realizar reuniões para orientar sobre as normas de convivência entre moradores em áreas comuns como playground e centro comunitário, funcionamento de serviços de água, energia, correios, destinação do lixo, entre outras.

O empreendimento prevê a construção de 128 unidades verticais (apartamentos), sendo que 5% dos imóveis serão reservados para os idosos e outros 10% para pessoas com necessidades especiais.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.