Buscar

Reportagem de TV reivindica unidades da  Iagro e Agenfa para região de Nova Casa Verde

A reivindicação foi levada até a Comissão de Assuntos Agrários da OAB-MS

Nos últimos dias, reportagem produzida pelo Sistema Brasileiro de Agronegócio (SBA) e veiculada pelo Canal do Boi, cobra a instalação de escritórios da Agência Fazendária (Agenfa) e da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul (Iagro) na região de Nova Casa Verde, em Nova Andradina. Segundo a matéria, a ausência destas unidades naquele distrito tem dificultado a vida dos produtores rurais, que precisam se deslocar até 120 quilômetros (ida e volta) à cidade de Nova Andradina em busca de atendimento.

O produtor rural Modesto Flores foi um dos entrevistados pela equipe que produziu a reportagem. Ele reclamou do deslocamento que precisa fazer constantemente até a cidade para regularizar os documentos exigidos para suas atividades rurais. “A gente segue até Nova Andradina e, às vezes, o movimento na Iagro é grande e faz com que retornemos para casa somente à noite. A situação não está nada boa”, reclama Flores.

Imagem: Reprodução/SBA

“O grande problema é a distância. As vezes a gente vende um animal ou um pequeno lote deles e o custo do deslocamento até Nova Andradina para providenciar a documentação exigida pelo Estado acaba por inviabilizar a negociação, sem contar o tempo gasto pelos produtores ao fazer este percurso”, afirma o produtor Wilde Pimenta Lemos. Segundo os entrevistados, os pequenos produtores são os mais prejudicados.

Além de procurar as unidades de atendimento sempre que ocorre a compra ou venda de animais, também há o período de vacinação do rebanho, cujos documentos também precisam ser encaminhados para os órgãos competentes. Segundo a Comissão de Assuntos Agrários da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul (OAB-MS), na região são mais de 1.200 pequenas e médias propriedades que produzem gado de corte e de leite.

Nas palavras do presidente da comissão, Pedro Puttini, somete naquela região existem cerca de 500 mil cabeças de gado, sendo que, deste total, 30 mil são leiteiras, com uma produção média de 150 mil litros de leite por dia. Segundo o presidente, o processo que solicita atendimento às reivindicações dos produtores já teria sido encaminhado para o Governo do Estado. “O próximo passo será avaliar a viabilidade da instalação destas unidades, para depois tomarmos medidas mais efetivas”, explicou ele. Para assistir a reportagem na íntegra >>clique aqui<<. (Colaborou Lincoln Obregon). 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.