Buscar

Risco de epidemia da gripe H1N1 abre estado de alerta em Nova Andradina

H1N1 começou a circular no Estado e acende o sinal vermelho para o risco de uma epidemia no município

Cb image default
Vacinação começará no próximo dia 23 de abril em Nova Andradina - Foto: Divulgação

Mesmo antes da chegada do inverno, Nova Andradina já começa a entrar em estado de alerta para uma doença comum todos os anos: a gripe causada pelo vírus influenza. Ao contrário do ano passado, o vírus da H1N1 começou a circular no Estado com casos registrados e acende o sinal vermelho para o risco de uma nova epidemia.

Segundo as informações a que o Nova News teve acesso junto à Secretaria Municipal de Saúde, a incidência da doença agora em 2018 requer atenção especial devido à circulação de um novo vírus da influenza. Conforme explicou a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Tatiana Rovani Pacito, a infestação do H1N1 é decorrente de um vírus mais forte que abre o alerta no município. “Dividida em 70 subtipos, no ano passado o vírus da influenza que circulou foi o H3N2 que era menos agressivo. Agora a ameaça do novo vírus é preocupante devido às complicações mais severas da doença que podem até levar à morte”.

Como medida de estratégia para evitar uma epidemia em Nova Andradina, a coordenadora disse que está sendo preparada uma campanha que se estenderá a toda população com a distribuição de folders com cuidados básicos a serem tomados. Mesmo parecendo simples, medidas de higiene pessoal são primordiais para evitar a infestação da doença como, por exemplo, o uso do álcool 70% para a higienização das mãos, se for tossir o ideal é que a pessoa proteja a boca e ainda o recomendado é evitar lugares de grandes aglomerações. Tratam-se de cuidados simples que fazem a diferença até mesmo para evitar a conjuntivite como se veem muitos casos em nossa cidade”, destacou Tatiana.

De acordo com a coordenadora, a vacinação em Nova Andradina começará no dia 23 de abril e se estenderá até o dia 1º de junho para os mesmos grupos de risco do ano passado, incluindo os professores das redes de ensino. Segundo ela, a campanha no ano anterior não atingiu 90% da meta preconizada pelo Ministério da Saúde e pede que as pessoas procurem as salas de vacinação para se imunizarem da doença.

Os cuidados

Previna-se. Evite a propagação de doenças como a conjuntivite e H1N1

1. Evite aglomerações de pessoas, principalmente em ambientes fechados;

2. Abra janelas e deixe o ar entrar em casa, no trabalho e no ônibus;

3. Lave frequentemente as mãos com água e sabão;

4. Ao tossir, cubra o nariz e a boca com um lenço, de preferência descartável;

5. Se estiver com sintomas de gripe (febre acima de 38ºC, tosse ou dor de garganta) use máscara;

6. Não compartilhe copos, talheres, toalhas e objetos pessoais;

7. Evite tocar seus olhos, nariz ou boca sem antes lavar as mãos;

8. Só use medicamentos com orientação médica;

9. Em caso de dúvida procure o seu médico ou uma unidade de saúde;

10. Se você está com gripe e apresentar dificuldade para respirar, procure imediatamente um serviço de saúde.

Cb image default

Grupos prioritários para a vacinação:

- Crianças de seis meses a menores de cinco anos: todas as crianças que receberam uma ou duas doses da vacina influenza sazonal em 2017, devem receber apenas uma dose em 2018. Também deve ser considerado o esquema de duas doses para as crianças de seis meses a menores de nove anos de idade que serão vacinadas pela primeira vez, devendo-se agendar a segunda dose para 30 dias após a 1ª dose.

- Gestantes: todas as gestantes em qualquer idade gestacional. Para o planejamento da ação, torna-se oportuno a identificação, localização e o encaminhamento dessas para a vacinação nas áreas adstritas sob responsabilidade de cada serviço de saúde dos municípios. Para este grupo não haverá exigência quanto à comprovação da situação gestacional, sendo suficiente para a vacinação que a própria mulher afirme o seu estado de gravidez.

-  Puérperas: todas as mulheres no período até 45 dias após o parto estão incluídas no grupo alvo de vacinação. Para isso, deverão apresentar documento que comprove a gestação (certidão de nascimento, cartão da gestante, documento do hospital onde ocorreu o parto, entre outros) durante o período de vacinação.

- Trabalhador de Saúde: todos os trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados, nos diferentes níveis de complexidade.

- Professores: todos os professores das escolas públicas e privadas.

- Povos indígenas: toda população indígena, a partir dos seis meses de idade. A programação de rotina é articulada entre o PNI e a Secretaria de Atenção à Saúde Indígena (SESAI).

- Indivíduos com 60 anos ou mais de idade deverão receber a vacina influenza.

- Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas deverão receber a vacina influenza.

- População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional: o planejamento e operacionalização da vacinação nos estabelecimentos penais deverão ser articulados com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde e Secretarias Estaduais de Justiça (Secretarias Estaduais de Segurança Pública ou correlatos.

- Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independe da idade.

Vale lembrar que a apresentação da prescrição médica será obrigatória para o grupo de comorbidades, durante a campanha.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.