Buscar

Sem chuva, produção de milho safrinha já é a pior dos últimos 5 anos na região de Nova Andradina

Safra 2017/2018 começou a ficar comprometida com uma perda de 35% já registrada pelos produtores

É estimada em 35% a perda já registrada por produtores de milho safrinha da região de Nova Andradina. Sem chuva há quase 40 dias, a safra 2017/2018 começou a ficar comprometida e a tendência é de mais prejuízos se a estiagem persistir.

A notícia cai como uma ‘bomba’ para os produtores que aguardavam ter uma das maiores colheitas de milho neste ano. Com 50 mil hectares de área plantada, a produção estimada em cerca 3,5 milhões de toneladas não poderá ser mais uma realidade.

O gerente da Coopergrãos (Cooperativa Agropecuária Regional dos Produtores de Nova Andradina), José Antônio dos Santos Filho, vê com preocupação o atual cenário agrícola da região diante da perda na produção que pode chegar a 40% na etapa final.

“Se não chover, a situação pode ficar ainda pior. A última chuva ocorreu no último dia 1º de abril com 45 milímetros. No dia 20 chegou a chover 15 mm, mas apenas em alguns pontos do município e até da região. Parte da produção já registra perda devido ao milho estar pendoando em algumas lavouras e enquanto em outras já estavam enchendo em grãos que não desenvolveram”, explica Santos.

Cb image default
A quase 40 dias sem chuva, produtores já contabilizam prejuízo com milho safrinha - Foto: Luciene Carvalho/Nova News

Segundo o gerente, a produção de milho safrinha já é a pior dos últimos 5 anos e vários outros segmentos tendem a ser afetados com a perda. “Os impactos serão muito negativos para a área agrícola da região. Os produtores amargarão prejuízos a longo prazo, porque não conseguirão manter as contas em dia com uma quebra na produção desta natureza. Poucos têm seguro, ao contrário da maioria que plantou com recursos próprios e ficará no prejuízo”.

Com menor armazenamento, Santos detalha que a cooperativa também vai sofrer os impactos da perda de produção. “Se a safra é menor, automaticamente o recebimento de grãos também será. Uma cadeia inteira será afetada, até mesmo quem depende diretamente do milho como, por exemplo, os produtores de frango ou os pecuaristas no confinamento de gado. Trata-se de uma situação difícil de contornar. O preço médio da saca de milho é de R$ 30,00, no entanto, não adianta ter preço se não temos o produto para vender”, salientou o gerente ao lembrar que outros segmentos como o leiteiro e quem decidiu plantão feijão também estão sendo castigados com a falta de chuva. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.