Buscar

“Ser feirante não é fácil, mas é um trabalho gratificante”, dizem produtores

Famílias da região encontram em Nova Andradina freguesia e bons amigos

Cb image default
Feirante de toda a região encontram em Nova Andradina espaço para vender produtos dos mais variados tipos - Imagem: Acácio Gomes / Nova News

Trabalhar a terra, plantar e colher frutas, verduras, legumes, mandioca; cuidar do gado para tirar o leite que será transformado em queijo caipira, requeijão, doce... Estas são apenas algumas das obrigações daqueles que se dispõe a viver da agricultura familiar.

Atuando como feirantes há 18 anos, o casal de sitiantes da região do Bairro Jaqueira, em Batayporã, Herculano, de 68 anos, e Ivone, de 58 anos, afirma que atuar na produção e comercialização de produtos caseiros é uma tarefa árdua, mas gratificante.

Mais de uma vez por semana, Herculano e Ivone ajeitam os produtos e partem em direção à cidade de Nova Andradina para encontrar fregueses e bons amigos. “Ovos, doces e produtos mais duráveis são colocados no carro um dia antes, já as verduras e legumes são colhidos pouco antes, para que cheguem fresquinhos ao cliente”, explica Herculano.

Cb image default
Família de Herculano e Ivone produzem em Batayporã e comercializam itens nas feiras de Nova Andradina - Imagem: Acácio Gomes / Nova News

“Nosso trabalho é bem cansativo. Chegamos aqui, montamos a barraca, ajeitamos tudo, vendemos, desmontamos a estrutura e vamos embora, mas nada de descanso, pois já começamos a nos preparar para a próxima feira, além de cuidar das plantas e da criação. É trabalho sem fim”, afirma Ivone.

Mesmo apesar das dificuldades, o casal afirma que a tarefa é gratificante. “São 18 anos de feira. Criamos filhos, estamos ajudando a cuidar dos netos, sem contar das boas amizades que fazemos. São mais que clientes, são pessoas que tem um carinho especial por nós e pelo nosso trabalho”, diz ela.

Outro que enxerga em Nova Andradina um campo para trabalhar e ganhar o sustento é o produtor Willis, de 31 anos, da cidade de Ivinhema. A exemplo dos demais feirantes, ele tem em Nova Andradina o espaço para vender abacaxi, batata-doce e melancia, todos produtos cultivados em seu sítio.

Cb image default
Willis, de Ivinhema, vem a Nova Andradina mais de uma vez por semana para vender abacaxi, batata-doce e melancia - Imagem: Acácio Gomes / Nova News

“São seis anos de feira. É tudo muito trabalhoso, mas, ao mesmo tempo, vale a pena. É através da feira livre que garanto o sustento para a família. Seja em dias de chuva ou de sol, no frio ou no calor, em fins de semana ou feriados, quem é produtor sabe que o trabalho é constante”, diz Willis.

Segundo levantamento do Nova News, participam das feiras livres, que ocorrem em vários bairros de Nova Andradina, produtores do próprio município e de cidades vizinhas, como Batayporã, Taquarussu, Ivinhema e região. “Eu resumiria a vida de feirante em apenas uma frase: Somos todos uma grande família”, finaliza a feirante Ivone. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.