Buscar

Servidores administrativos cruzam os braços e segundo dia de greve já afeta ano letivo

Adesão chega a 90% em Nova Andradina e das oito escolas estaduais, sete estão com as atividades paralisadas

Nova Andradina não ficou fora da greve dos servidores administrativos da educação iniciada nessa terça-feira (10) em Mato Grosso do Sul. No município, a adesão chega a 90% e das oito escolas estaduais, sete estão com as atividades paralisadas e os efeitos já começam a serem sentidos.

Segundo as informações a que o Nova News teve acesso junto ao Simted (Sindicato dos Trabalhadores em Educação), um ato público está programado para a manhã desta quinta-feira (12), a partir das 9h, em frente à Coordenadoria Regional de Educação, que representa o Governo do Estado em Nova Andradina e região.

O objetivo, segundo o presidente Edson Granato, é entregar a pauta de reivindicações que motiva a mobilização, além ainda de pedir apoio para a intermediação de um diálogo junto ao governo com a categoria. “Reformular imediatamente o plano de cargos e carreiras dos administrativos da educação, pleitear a incorporação do abono de R$ 200,00 cedido no ano passado e reivindicar a realização de um concurso público para suprir a defasagem no quadro de pessoal são as bandeiras que os servidores levantam ao cruzarem os braços”, salientou.

Cb image default
Das oito escolas estaduais, sete estão com as atividades paralisadas em Nova Andradina desde essa terça-feira (10) - Foto: Luciene Carvalho/Nova News

Questionamento sobre como está a greve no segundo dia de adesão, Grantato detalhou à reportagem que a situação já requer atenção. “Algumas escolas estão dispensando mais cedo, porque não tem merenda para servir aos alunos, enquanto em outras diretores e professores estão colocando a massa e indo para a cozinha, além de ajudar na limpeza”, pontuou o presidente.

De acordo com o presidente, as ações desta quarta-feira (11) foram voltadas a visitas nas escolas para informar ao corpo docente e pais a adesão. Granato informou que a Escola Austrílio Capilé Castro, única até o momento fora do movimento, deverá decidir nesta quinta-feira se adere à mobilização.

”As rodadas de negociações começaram nesta terça-feira em Campo Grande e, de acordo com a legislação, nossa intenção é prosseguir com a greve até o dia 30 de abril se até lá o Governo do Estado não se posicionar. Entretanto, nossa ideia primordial é que o governo dialogue com a categoria para fim o quanto antes à mobilização“, disse Granato.

Pelo apurado, Nova Andradina tem cerca de 120 servidores administrativos na área de educação. A greve conta com a adesão de pelo menos 70% dos trabalhadores administrativos em 383 escolas estaduais de Mato Grosso do Sul. São cerca de seis mil administrativos no total em todo o Estado.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.