Buscar

Servidores do Poder Judiciário fazem manifesto em Nova Andradina

AMAMSUL manifesta o seu apoio ao juiz Sérgio Fernando Moro, no exercício de sua função

Na tarde desta sexta-feira (18), servidores do Fórum da Comarca de Nova Andradina realizaram um manifesto contra a corrupção, contra os desmandos que segundo eles, vêm ocorrendo no País, contra todo tipo de divisão do Brasil, principalmente por meio dos partidos políticos, e a favor do juiz federal Sérgio Moro, que retirou o sigilo de interceptações telefônicas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Manifestantes se reuniram em frente ao Fórum de Nova Andradina, onde empunharam as bandeiras de Mato Grosso do Sul e do Brasil (Foto: Márcio Rogério/Nova News)

Os manifestantes se reuniram em frente ao Fórum de Nova Andradina, onde empunharam as bandeiras de Mato Grosso do Sul e do Brasil. Segundo os integrantes do movimento, nesta quinta-feira (17), os juízes já haviam realizado um ato. Segundo nota da AMAMSUL, associação que congrega os juízes estaduais de Mato Grosso do Sul, a entidade, neste momento de conturbação política, vem a público para manifestar que apoia integralmente o efetivo combate à corrupção em todas as esferas e instâncias da vida pública do Estado brasileiro.

A instituição reafirma a necessidade de independência do poder Judiciário, sob pena de instabilidade institucional e como meio de preservar o Estado Democrático de Direito; salienta a imperiosa necessidade de preservação das garantias constitucionais atribuídas aos magistrados, como meio de salvaguardar a sua independência funcional e a imparcialidade de suas decisões e repudia toda e qualquer tentativa de ingerência indevida nas atividades jurisdicionais e funcionais de seus membros.

Segundo a nota, a  AMAMSUL manifesta seu apoio ao juiz Sérgio Fernando Moro, no exercício de sua função judicante, rechaçando toda e qualquer tentativa de intimidação da qual possa ser vítima.

Servidores reafirmam a necessidade de independência do Poder Judiciário no Brasil (Foto: Márcio Rogério/Nova News)

Manifestações pela região

Por volta das 14h desta quinta-feira (17), aproximadamente 100 manifestantes bloquearam a divisa dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. O grupo fechou a entrada da ponte do lado do Estado de São Paulo, via de acesso ao Estado de Mato Grosso do Sul.  Devido ao protesto, a BR-267, do lado sul-mato-grossense também ficou com o tráfego impedido no Distrito de Nova Porto XV, município de Bataguassu.

No último final de semana, acompanhando as manifestações do movimento "Vem Pra Rua", convocadas para todo Brasil centenas de pessoas saíram às ruas de Nova Andradina, na manhã do último domingo (13), para protestar contra a onda de corrupção que tem sido divulgada através da Operação Lava Jato.

Manifestações pelo Brasil

Nas últimas horas, várias manifestações e protestos ocorreram em diversas partes do Brasil. A Avenida Paulista, em São Paulo, amanheceu nesta sexta-feira (18) com barracas de manifestantes contrários ao governo. Por volta das 7h30, havia pouco mais de 30 barracas instaladas em frente ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Parte da avenida permaneceu fechada desde o início da noite de quarta-feira (16).

Saiba mais
  • Centenas de pessoas saem às ruas de Nova Andradina pelo fim da corrupção 
  • Manifestantes fecham divisa entre os estados de MS e SP 

Nesta quinta-feira (17), em Brasília (DF), cerca de três mil pessoas, de acordo com a Polícia Militar, protestaram em frente ao Palácio do Planalto, pedindo a saída da presidenta Dilma Rousseff. 

 

Os manifestantes bloquearam todas as faixas da Esplanada dos Ministérios e seguiram para o gramado do Congresso Nacional.

Os manifestantes seguram faixas com mensagens como "Lula na cadeia", "Dilma impeachment" e "O Brasil não é do PT". Durante o ato, que foi marcado também por fogos de artifícios e vaias em direção ao governo, o Batalhão de Choque e a cavalaria da Polícia Militar faziam o cerco impedindo que os manifestantes se dirigissem à parte da avenida que fica exatamente em frente ao Planalto.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.