Buscar

SIGO deve voltar a operar nesta sexta-feira 

Empresa deverá prestar serviço pelos próximos quatro anos com contrato estimado em R$ 36,4 milhões

O SIGO (Sistema Integrado de Gestão Operacional) deve voltar a operar nesta sexta-feira (23). A informação é do jornal Mídia Max, da Capital, que divulgou em seu portal uma entrevista com o secretário de Justiça e Segurança Pública do Estado, José Carlos Barbosa, que falou sobre o assunto.

Segundo a matéria, a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) publicou nesta quinta-feira (22) uma autorização de inexigibilidade de licitação para a renovação do contrato com a empresa que gerencia o SIGO. Por R$ 36,4 milhões, a empresa deve ser contratada pelos próximos quatro anos.

O contrato com a Compnet Tecnologia Ltda estava encerrado desde março deste ano, e a empresa não recebia há mais de um ano. Com a renovação do contrato, o secretário de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, afirmou que os problemas com o SIGO devem ser resolvidos até o início da semana que vem.

Secretário de Sehurança diz que com renovação do contrato "quem passa a cobrar" é o Governo do Estado (Imagem: Mídiamax)
Saiba mais
  • Polícia publica procedimentos para registro de ocorrências sem o SIGO em MS
  • SIGO continua fora do ar no Estado

“Se a alegação [da empresa] era de que não existia o contrato, uma vez renovado, quem passa a cobrar somos nós”, disse Barbosinha. 

 

“Ou a empresa está preparada para prestar o serviço adequado ou nós teremos que buscar outras alternativas”, complementou.

Os pagamentos mensais à Compnet com a recontratação devem ser entre R$ 700 mil a R$ 800 mil, segundo a previsão de Barbosinha. Há a possibilidade de rescisão, caso os problemas com o S.I.G.O. continuem sendo apresentados.

Melhorias

Ainda segundo o secretário de Justiça, há muitas coisas que poderiam melhorar no Sistema de Informações, utilizado por todos os órgãos de segurança do Estado para registrar e consultar boletins de ocorrência. Uma delas seria a integração entre o SIGO e o SAJ (Sistema de Automação da Justiça), do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

“Nós temos assinado já um termo de cooperação, que dará a possibilidade dos juízes acessarem os laudos dos peritos”, disse Barbosinha. A integração entre os sistemas daria mais agilidade às decisões judiciais, baseada no trabalho das polícias. 

O SIGO

Em operação no Estado desde 2006, o Sigo é um software disponibilizado por uma empresa terceirizada, utilizado pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) para armazenar dados das ocorrências atendidas pela Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e outras unidades de segurança do Estado tendo como objetivo dinamizar o atendimento à população. O Sigo substituiu o antigo modelo de registro de ocorrência manual.   

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.