Buscar

Unidade do JBS de Nova Andradina poderá dar férias coletivas

Na manhã desta quarta-feira (02), o Nova News apurou que a unidade do Frigorífico JBS de Nova Andradina poderá dar férias coletivas aos seus funcionários a partir dos próximos dias. O período de paralisação pode durar entre 20 e 30 dias. 

 

O JBS, que assumiu a planta frigorífica deixada pelo extinto Frigorífico Independência, localizada às margens da MS-276, na saída para a cidade de Ivinhema, atua em Nova Andradina desde 2012. A informação sobre as férias coletivas gera clima de insegurança entre as pessoas que dependem da indústria para garantir o sustento de suas famílias.

JBS assumiu em 2012 a planta frigorífica deixada pelo extinto Frigorífico Independência (Foto: Arquivo/Nova News)

Na manhã desta quarta-feira (02) o Nova News manteve contato com a sede corporativa do JBS, em São Paulo (SP), momento em que a assessoria de imprensa da empresa se comprometeu a retornar o contato com uma posição oficial do grupo sobre a questão. O site também entrou em contato com a unidade de Nova Andradina e obteve a informação de que a diretoria estava em reunião. 

Saiba mais
  • JBS retomou desossa na unidade de Nova Andradina
  • Com 70 trabalhadores a menos, JBS retoma atividades em Nova Andradina
  • Frigorífico JBS dá férias coletivas na unidade de Nova Andradina

No mês de julho de 2015, a empresa já havia dado férias coletivas aos trabalhadores, sendo que as atividades foram retomadas no dia 10 de agosto de 2015. 

 

No dia 16 de setembro também de 2015, o JBS reativou o setor da desossa na planta frigorífica de Nova Andradina. Atualmente, a unidade gera mais de 550 postos de trabalho, não apenas para pessoas residentes no município, mas também em outras cidades da região.

Recentemente, matéria publicada pelo Governo do Estado dava conta de que o Grupo JBS havia conseguido liberação para exportar carne para a arábia saudita através de três de suas unidades, sendo duas em Campo Grande e uma em Naviraí. Também foram habilitadas as exportações na unidade do Minerva, de Batayporã; duas unidades Marfrig, em Bataguassu e Porto Murtinho; do Frigorífico Total, de Paranaíba; Vale Grande, de Iguatemi; e Mataboi, de Três Lagoas. 

 

Leia também
  • Frigorífico Minerva poderá retomar as atividades em Batayporã

As indústrias fazem parte de uma lista que conta com 49 frigoríficos brasileiros aptos a exportar carne para o país do Oriente Médio. 

 

Os sauditas também habilitaram seis unidades em Mato Grosso, cinco em Minas Gerais, dois no Rio Grande do Sul, dois em Rondônia, dois no Paraná, 10 em São Paulo, oito em Goiás, três no Pará e um em Tocantins.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.