Publicado em 18/05/2019 às 21:01, Atualizado em 19/05/2019 às 01:24

Vereador Airton Castro diz que vai solicitar imagens das câmeras do HR para provar sua inocência

Edil se pronunciou sobre episódio ocorrido na unidade hospitalar neste sábado (18)

Acácio Gomes, Redação Nova News

Imagem: Arquivo / Thiago Odeque / CMNA

Cb image default

O vereador Airton Castro (PDT) manteve contato no início da noite deste sábado (18) com a redação do Nova News para dizer que irá solicitar as imagens das câmeras de segurança do Hospital Regional (HR) a fim de provar sua inocência diante da acusação feita por servidores de que ele teria tentado “dar uma carteirada” para ver, fora do horário de visitas, um amigo que está internado na unidade.

Castro disse ao Nova News que, de fato, foi até o HR pela manhã e solicitou aos funcionários a gentileza de visitar um amigo, mesmo estando fora do horário estabelecido. Nas palavras dele, ao ser informado de que não seria possível, telefonou para o diretor do HR, Nelson Custódio, que não atendeu. Na sequência, ele ligou para o diretor administrativo da Fundação de Saúde de Nova Andradina (Funsau-NA) - entidade responsável pelo HR -, Valmir Moraes da Silva.

“Pedi ao Valmir que permitisse a visita e ele me disse que não teria problemas, porém, mesmo assim, os funcionários barraram a minha entrada. Então retornei a ligação para o Valmir e disse que esperaria o horário de visitas, que já estava bem próximo, mas o Valmir disse que iria lá para resolver a situação”, disse o edil, ao afirmar que pediu para fazer a visita antes do horário normal devido a um compromisso.

Nas palavras dele, quando o diretor administrativo chegou ao HR, conversou com os servidores, mas mesmo assim, a visita fora do horário estabelecido não foi permitida. 

“Então aguardei o horário, entrei e visitei meu amigo”, disse Airton, ao garantir que em momento algum desacatou ninguém e nem quis se aproveitar de sua função de vereador para entrar no hospital.

“O que eu disse é que, como vereador, se eu quisesse entrar no HR para fiscalizar, eu poderia fazê-lo, mas em momento algum eu disse que o faria naquelas circunstâncias”, explicou Castro, ao se qualificar como uma pessoa educada e que não gosta de confusão.

“Como notei certo sarcasmo por parte dos servidores, eu disse ao Valmir que aquelas pessoas que me atenderam deveriam ser melhor capacitadas para lidar com seres humanos, uma vez que, não achei as atitudes deles adequadas para aquele ambiente, onde as pessoas já chegam fragilizadas. Ninguém vai a um hospital para passear”, desabafou.

O vereador ainda disse ao Nova News que o local é monitorado por câmeras de segurança e que, pelas imagens, seria possível observar que, em momento algum, ele teria desacatado ou intimidado nenhum funcionário. “A filmagem será a grande prova. Vou pedir as imagens para que fique claro o que realmente aconteceu”, disse.