Buscar

Vereador de Taquarussu é condenado por corrupção eleitoral

Sandro Félix terá que pagar multa de R$ 3 mil e realizar serviços comunitários

Imagem: Reprodução / Facebook

Cb image default

A Justiça Eleitoral condenou o vereador de Taquarussu, Sandro Félix (MDB), por corrupção eleitoral ocorrida durante o pleito de 2016. Ele teria oferecido vantagens a eleitores em troca de votos para sua reeleição, sendo que, o juiz Robson Celeste Candelório fixou como pena três anos de reclusão, que poderão ser substituídos por prestação de serviços à comunidade e pagamento de multa.

Conforme a denúncia, Sandro Félix teria oferecido aos eleitores benefícios como ingressos para um show sertanejo, materiais de construção e também combustível.

O Nova News já havia noticiado anteriormente que, durante a campanha eleitoral, foi realizada em Taquarussu, a operação "Entrada Livre", que identificou a prática de crime de compra de votos por parte do então candidato a vereador, Sandro Félix.

Após receber denúncia, o Ministério Público iniciou acompanhamento do candidato e requereu a expedição de mandados de busca e apreensão em sua residência, estabelecimento comercial e local de trabalho.

Durante o cumprimento dos mandados foram apreendidos, entre outros itens, inúmeras listas de eleitores, dezenas de convites de um show sertanejo e R$ 1.900,00 (mil e novecentos reais) em espécie, em notas de R$ 50 e R$ 100, que provavelmente seriam utilizados para compra de votos.

Ainda segundo a sentença proferida na última semana, além dos ingressos e do dinheiro, havia também uma lista com nomes de eleitores relacionados à suposta distribuição de itens como sacos de cimento, pisos, forro e também gasolina.

Por meio de uma decisão anterior, referente a outro processo, a juíza substituta da 5ª Zona Eleitoral, Ellen Priscile Xandu Kaster Franco, havia se manifestado pela cassação do vereador. Naquela oportunidade Sandro Félix foi julgado como culpado na acusação de abuso de poder econômico, ou seja, compra de votos.

Em maio de 2018, Sandro Felix, a situação foi revertida no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE/MS), motivo pela qual ele permanece exercendo seu mandato.

Agora, com a sentença de condenação na esfera criminal, o vereador deverá pagar multa de R$ 3 mil e realizar uma hora diária ou cinco horas semanais de serviço comunitário a uma entidade a ser definida.

O Nova News apurou que o Cartório da 5ª Zona de Eleitoral, com sede em Nova Andradina, mas que também responde pelos municípios de Batayporã e Taquarussu, ainda não intimou pessoalmente o vereador com relação à decisão, porém, isso deve ocorrer nos próximos dias.  (Com informações do Campo Grande News). 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.