Publicado em 13/06/2014 às 08:36, Atualizado em 26/04/2017 às 09:41

Vereadores conhecem  as  instalações da Casa Magma

Câmara repassa R$ 1500,00 por mês para ajudar na manutenção da entidade, que atende gestantes de baixa renda

, CMNA

Na semana passada, os vereadores Newton Luiz de Oliveira (Nenão), Quemuel de Alencar e Robertinho Pereira tiveram a oportunidade de conhecer as dependências da Casa Magma (Movimento de Associadas Gestantes e Mulheres em Ação), que presta assistência a gestantes de baixa renda e desde agosto de 2013 vem sendo subsidiada pela Câmara Municipal, através da devolução do duodécimo.

Os parlamentares foram recepcionados pela equipe da entidade: a presidente Rosimar Aparecida de Souza, a coordenadora Erika Maniçoba, a secretária Denielly Paulo Puga e também a instrutora Leonilda dos Santos Cardoso. 

As mulheres apresentaram os trabalhos realizados pelas gestantes e falaram sobre o projeto desenvolvido. Segundo as dirigentes, a Casa Magma atende cerca de 50 gestantes, mensalmente. As doações e os convênios com o Executivo e o Legislativo são a principal fonte de manutenção da Casa. Por meio de projeto, as gestantes confeccionam enxoval para os bebês, recebem orientações acerca da gestação e alimentação. “Nós oferecemos aula de crochê, corte-costura e bordado. Ao final da gestação elas conseguiram confeccionar todo o enxoval do bebê”, informou  a secretária Denielly

A presidente Rosimar agradeceu o apoio da Câmara. “É um reconhecimento do nosso trabalho. Esse dinheiro faz a diferença e nos ajuda muito”, ressalta. De acordo com informações do setor financeiro do legislativo, a Casa Magma recebe R$ 3 mil mensais por meio de convênio, sendo 50% do valor repassado pela devolução de duodécimo da Câmara e outros 50% a contrapartida do Executivo.

O presidente da Casa de Leis, Newton Luiz de Oliveira (Nenão), ressaltou a importância dos repasses para as ONGs que realizam trabalho social no município. “Esses recursos estão sendo viabilizados graças ao entendimento que tivemos com o executivo para que o dinheiro que sobra no caixa da Câmara seja repassado às entidades. O prefeito mantém esse compromisso e, com isso, as instituições têm mais dinheiro para desenvolver seus projetos”, conclui Nenão. (Imagem divulgação)