Buscar

Sobre família biológica, Sam Alves afirma: Não tenho sentimento negativo

Vencedor do The Voice Brasil destaca ser muito feliz com pais adotivos: Nunca parei para imaginar como seria a minha vida sem eles. Sou muito grato

Sam Alves participa do Encontro (Foto: Encontro com Fátima Bernardes / TV Globo)

Sam Alves, vencedor da última edição do The Voice Brasil, esteve no Encontro e falou da emoção de ganhar o reality show e das transformações em sua vida. A ficha ainda está caindo, minha vida mudou agora, declarou o cantor. Ele reapresentou a canção Allelujah e falou da reação do público: Andar na rua é muito diferente, toda hora tem gente querendo tirar foto, pedindo autógrafo, é muito carinho. Ser reconhecido e elogiado mostra que fiz algo correto.

O interesse pela música surgiu desde pequeno, ele lembra dos comentários em relação ao seu timbre vocal durante a sua participação na versão americana do The Voice: Disseram que minha voz era muito madura, quando a Shakira virou eu vi que ela se arrependeu, comenta o campeão.  Ao falar da versão brasileira do programa, onde levou o título de campeão, Sam afirma: 

Não esperava que as quatro cadeiras virassem. Estudei um pouquinho mais e me preparei para uma nova oportunidade. Acredito que eu não estava totalmente preparado no The Voice dos EUA. Dessa vez eu defini o meu estilo.

Raquel mãe de Sam, que também esteve no Encontro, contou como o filho entrou em sua vida: 

Havia chovido, a caixa estava úmida. Tocaram a campainha, eram quase 2h da manhã, vi a caixa e tinha algo se mexendo. Era uma criança, era a resposta de uma oração que fiz para Deus porque eu tinha pedido um filho.Tinha a data de nascimento, a última hora que ele tinha mamado. Criado em uma família de músicos, o destino não poderia ser diferente: Ele veio completo e deu continuidade à música, mesmo nãos sendo filho biológico, comemora.

Raquel elogia o filho: Ele era uma uma criança que não dava trabalho nenhum. Acredito que gosta de música desde a barriga. Sam Alves declara que nunca pensou como seria sua vida sem seus pais adotivos: Eu nunca parei para imaginar. Sou muito grato. Não tenho essa curiosidade. Não tenho sentimento negativo em relação aos meus pais biológicos. Eu tenho minha mãe e meu pai.

A mãe de Sam ainda revela que apesar do filho saber da sua história desde muito pequeno, amigos da família não conheciam a verdade: Amigos que frequentavam a nossa casa que não sabiam que ele era adotivo. Mas ele sabia desde pequeno. Não vejo o Sam como filho adotivo. Ela continua: É uma alegria muito grande. Eu vi aquele bebê e sempre acreditei naquilo. Ele era muito pequeno, muito doente. Ficou sete dias internado. A gente tem que acreditar em pequenas coisas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.