Buscar

Empregados em postos de combustíveis de MS querem 5% de aumento real

Proposta é elevar piso salarial para R$ 1.290,00, que deve vigorar a partir de 1º de março de 2019

Imagem: Arquivo / Nova News

Cb image default

Os empregados em postos de combustíveis de Mato Grosso do Sul querem um aumento real de 5% sobre seus vencimentos, além do acumulado da inflação dos últimos 12 meses. Essa e outras propostas foram encaminhadas nos últimos dias pelo Sinpospetro/MS (Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Mato Grosso do Sul) ao sindicato patronal, o Sinpetro, pedindo uma data para se reunirem e aprovarem a nova Convenção Coletiva de Tabalho desses profissionais.

José Hélio da Silva, presidente do sindicato laboral, informa que a data base da categoria é 1º de março. Ele realizou assembleias gerais extraordinárias com trabalhadores de Campo Grande e interior do Estado, para aprovar a pauta de reivindicações da categoria. “Tivemos a presença maciça de centenas de trabalhadores nessas assembleias, o que demonstra seu interesse por melhorias salariais e do ambiente de trabalho”, explica o presidente.

O Sinpospetro/MS concluiu que o aumento real de 5% acima do acumulado da inflação é razoável, considerando a grande margem de venda das empresas durante o ano de 2018. José Hélio lembra que os dados da ANP (Agência Nacional de Petróleo e Gás) já indicam um crescimento das vendas, em 2018, muito maior que 2017, mesmo sem contar com o fechamento do ano, ou seja, com o mês de dezembro.

O piso salarial para os empregados nas funções de: frentistas, lavadores, atendentes de escritório, auxiliares de serviços gerais, valeteiros, lubrificadores, vigias, caixas internos do posto (escritório) e atendentes de lojas de conveniências, está sendo reivindicado pelo Sinpospetro/MS, para que seja elevado a R$ 1.290,00, que deve vigorar a partir de 1º de março de 2019 a fevereiro de 2020.

Para os empregados que recebem salário superior ao piso da categoria, o sindicato sugere a livre negociação e com reajuste não inferior a 8% sobre o salário de fevereiro de 2019. Já para os gerentes é solicitado o piso superior a 100% do piso fixado para os frentistas e demais profissionais.

Além dessas cláusulas econômicas a pauta de reivindicações dos empregados em postos de combustíveis de Mato Grosso do Sul traz também outras questões importantes também como a participação no lucro da empresa no valor de R$ 450,00 pagos parceladamente e outras medidas que valorizam o trabalho dos profissionais e proporcionam mais qualidade de vida para suas famílias.

O diretor do Sinpospetro/MS, Gilson Sá, disse que não tem dúvida de que a pauta será aprovada porque os empresários de fato ganharam muito mais em 2018 em relação a 2017 e que a aprovação será uma forma de retribuir aos empregados sua importância em todo contexto. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.